Um só povo, uma só pátria, uma só língua: impactos de uma política linguística imposta às identidades de uma país

Revista Acadêmica Licencia&acturas

Endereço:
Rua Julio Hauser, 171 - Sete de Setembro
Ivoti / RS
93900000
Site: http://www.ieduc.org.br/ojs/index.php/licenciaeacturas/index
Telefone: (51) 3563-8600
ISSN: 2525-5754
Editor Chefe: Ailim Schwambach
Início Publicação: 30/06/2013
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Educação, Área de Estudo: História, Área de Estudo: Teologia, Área de Estudo: Direito, Área de Estudo: Planejamento urbano e regional, Área de Estudo: Linguística, Área de Estudo: Multidisciplinar

Um só povo, uma só pátria, uma só língua: impactos de uma política linguística imposta às identidades de uma país

Ano: 2020 | Volume: 8 | Número: 1
Autores: Raquel Fritzen Dapper Vetromilla
Autor Correspondente: Raquel Fritzen Dapper Vetromilla | [email protected]

Palavras-chave: Identidade pós-moderna, Superdiversidade, Políticas linguísticas.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O artigo discute os conceitos de identidade do sujeito pós-moderno e da superdiversidade, embasadas em leituras de Hall e Vertovec, e apresenta estudo informal sobre a constituição da identidade de uma jovem graduanda, falante de uma língua de herança. O estudo demostra que, como sujeito pós-moderno, a estudante possuí múltiplas identidades que estão relacionadas com os diversos contextos pelos quais transita. Além disso, explicita a força exercida pelas políticas linguísticas da década de 1930 sobre as identidades dos descentes de imigrantes



Resumo Inglês:

The article discusses the concepts of postmodern subject identity and superdiversity, based on readings of Hall and Vertovec, and presents an informal study on the constitution of the identity of a young graduate student, who speaks an heritance language. The study shows that, as a postmodern subject, the student has multiple identities that are related to the different contexts through which she transits. In addition, the article explains the force exerted by the language policies of the 1930s on the identities of the descendants of immigrants.