RETAMA KAMATATSURI: CAMPESINOS PERUANOS EM BENJAMIN CONSTANT NO AMAZONAS – BRASIL

Anuário do Instituto de Natureza e Cultura

Endereço:
Rua 1º de Maio, Nº 5, Colônia
Benjamin Constant / AM
69630000
Site: http://www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/ANINC
Telefone: (97) 3415-5677
ISSN: 2525300X
Editor Chefe: Ronaldo de Almeida
Início Publicação: 30/04/2015
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: Multidisciplinar

RETAMA KAMATATSURI: CAMPESINOS PERUANOS EM BENJAMIN CONSTANT NO AMAZONAS – BRASIL

Ano: 2015 | Volume: 1 | Número: Especial
Autores: A. S. N. Souza
Autor Correspondente: A. S. N. Souza | alexg[email protected]

Palavras-chave: Cidade Amazônica, fronteira, israelitas peruanos

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente artigo tem como foco de análise principal o estudo de uma cidade Amazônica brasileira, Benjamin Constant, localizada numa área de tríplice fronteira (Brasil, Peru e Colômbia). A partir de um breve estudo sobre os campesinos de Retama Kamatatsuri busca-se entender as relações sociais que se concretizam no espaço e produzem conflitos não somente no sentido material, mas nas relações de poder e das práticas sociais que se projetam no território. A referida comunidade se evidencia por apresentar uma população de origem peruana indígena com peculiaridades em contexto religioso, conhecidos na região como grupo Israelita. A princípio a presença destes gerou um clima de tensão entre os citadinos de Benjamin Constant, pois a imagem que se divulga destes campesinos nos meios de comunicação em massa os relaciona a plantadores de maconha ou coca, a “imagem da fronteira”. Porém, o que se observou na realidade em Benjamin Constant é a presença cada vez mais pujante de um clima de tolerância e reciprocidade, que se estabelece através de atividades cotidianas e do perfil destes no trabalho agrícola familiar intenso.