O portunhol/portuñol na poesia de Fabian Severo

Interfaces

Endereço:
Av. Pedro Calmon, 500 Edifício da Reitoria/térreo
Rio de Janeiro / RJ
21941-901
Site: http://www.cla.ufrj.br/index.php/2013-06-07-14-47-23/revista-interfaces/ultimo-numero
Telefone: (21) 3938-1703
ISSN: 15160033
Editor Chefe: Fabiano Dalla Bona
Início Publicação: 31/03/1995
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Artes, Área de Estudo: Letras, Área de Estudo: Linguística, Área de Estudo: Multidisciplinar

O portunhol/portuñol na poesia de Fabian Severo

Ano: 2016 | Volume: 1 | Número: 24
Autores: C. Crinò
Autor Correspondente: C. Crinò | [email protected]

Palavras-chave: Portunhol/portuñol, Fronteira Brasil/Uruguai, Literatura fronteiriça, L[inguas em contato, Fabián Severo

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A presença do dialeto ou da língua Portunhol/Portuñol dentro de um Estado-Nação
territorialmente pouco extenso como o do Uruguai, revelou-se, com o passar do tempo, um sério
problema político. O uso desta língua minoritária – surgida pelo intenso contato entre o português
falado no Rio Grande do Sul e o espanhol do Uruguai – relaciona-se à ideia de “déficit linguístico”,
convicção que se tornou comum entre os falantes monolíngues do território da fronteira
Uruguai/Brasil. Na realidade, o Portunhol/Portuñol identifica-se como uma variedade linguística
singular, impregnada de história, temas e “sabores” fronteiriços. A nossa atenção, dentre os escritores
que usam o Portunhol/Portuñol, recai no poeta uruguaiano Fabián Severo, autor de dois
livros de poemas – Noite Nu Norte/Noche En El Norte, Poesía de la Frontera (2011) e Viento de
Nadie (2013), – publicados no Uruguai.



Resumo Inglês:

The presence of the dialect or language of Portunhol/Portuñol within a Nation-State
not so vast at the territorial level as Uruguay, has turned out to be, over time, a serious political
problem. The use of this minority language – originated from an intense contact between the
Portuguese spoken in Rio Grande do Sul and the Spanish of Uruguay – relates to the idea of “linguistic
deficit”, a conviction that has become common among monolingual speakers of the border
territory of Uruguay/ Brazil. In fact, the Portunhol/Portuñol is identified as a unique linguistic
variety, full of history, themes, and frontier “flavours”. Our attention, among the writers who use
Portunhol/Portuñol, concentrate on Uruguayan poet Fabián Severo, author of two books of poems
– Noite Nu Norte/ Noche En El Norte, Poesía de la Frontera (2011) and Viento de Nadie (2013), –
published in Uruguay.