Governança Corporativa e desempenhos das ações de empresas do setor comercial em ambiente de crise econômica

Revista Catarinense da Ciência Contábil

Endereço:
Av. Osvaldo Rodrigues Cabral, 1900, - Centro
Florianópolis / SC
88015-710
Site: http://revista.crcsc.org.br
Telefone: (48) 3027-7006
ISSN: 2237-7662
Editor Chefe: Sérgio Murilo Petri
Início Publicação: 30/11/2001
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: Ciências Contábeis

Governança Corporativa e desempenhos das ações de empresas do setor comercial em ambiente de crise econômica

Ano: 2020 | Volume: 19 | Número: Não se aplica
Autores: Wiliel Florencio, Fabiano Ferreira Batista, Cristiane Queiroz Reis
Autor Correspondente: Wiliel Florencio | [email protected]

Palavras-chave: governança corporativa, desempenho das ações, crise econômica, setor de comercio, corporate governance, share performance, economic crisis, trade sector.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Em tempos de crise, empresas com sólida Governança Corporativa (GC) tendem a passar maior credibilidade e por isso enfrentam barreiras mais brandas no mercado de capitais. Desse modo, este estudo teve como objetivo analisar a relação da GC com o desempenho das ações, em períodos com e sem crise. Consideraram-se, para tanto, as empresas do setor comercial listadas na B3, com ações negociadas no período de 2015/2016 (com crise) e 2017/2018 (sem crise), resultando em uma amostra de 20 empresas, totalizando 319 observações. As empresas foram agrupadas por participação ou não em segmento diferenciado de GC (N1, N2 e NM) da B3 e analisadas por meio de estatística descritiva e regressão com dados em painel. Os resultados da estatística descritiva apontam que, em média, as ações das empresas do setor de comércio listadas na B3 “Com-GC” apresentaram melhores desempenhos do que aquelas “Sem-GC”, resultado, provavelmente, da maior transparência das informações prestadas, do tratamento equitativo dos investidores e das medidas de monitoramento dos agentes exigidas pelas práticas de GC. Com relação ao modelo estimado, observou-se significância estatística e sinal positivo para as variáveis independentes lucro por ação (LPA) e a participação dos níveis diferenciados de governança corporativa (1% e 5% respectivamente). Já a variável que capta a crise econômica não se mostrou significante, não se podendo inferir que as práticas de GC são capazes de mitigar os efeitos negativos de crises econômicas no desempenho das ações.



Resumo Inglês:

In times of crisis, companies with solid Corporate Governance (CG) tend to experience greater credibility and therefore face softer barriers in the capital market. Thus, this study aimed to analyze the relationship between CG and the share performance, in periods with and without crisis. For this purpose, companies in the commercial sector listed on B3 were considered, with shares traded in the period 2015/2016 (with crisis) and 2017/2018 (without crisis), resulting in a sample of 20 companies, totaling 319 observations. The companies were grouped by participation or not in a differentiated CG segment (L1, L2 and NM) of B3 and analyzed using descriptive statistics and regression with panel data. The results of the descriptive statistics show that, on average, the shares of companies in the trade sector listed in B3 “With-CG” performed better than those “Without-CG”, probably the result of greater transparency of the information provided, the equitable treatment of investors and the measures for monitoring agents required by CG practices. Regarding the estimated model, there was statistical significance and a positive sign for the independent variables earnings per share (EPS) and the participation of different levels of corporate governance (1% and 5% respectively). However, the variable that captures the economic crisis was not significant, and it cannot be inferred that CG practices are capable of mitigating the negative effects of economic crises on the share performance.