Dano em Khaya ivorensis provocado por Trigona spinipes na savana brasileira

Acta Brasiliensis

Endereço:
Universidade Federal de Campina Grande - UFCG Avenida Universitária, s/n. Bairro Jatobá Cx Postal 61
Patos / PB
58708-110
Site: http://revistas.ufcg.edu.br/ActaBra/index.php/actabra
Telefone: 8335113045
ISSN: 2526-4338
Editor Chefe: Edevaldo da Siva
Início Publicação: 31/01/2017
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Biologia geral

Dano em Khaya ivorensis provocado por Trigona spinipes na savana brasileira

Ano: 2017 | Volume: 1 | Número: 1
Autores: R. S. Moura, K. R. Souza, D. S. Souza, G. M. Santana, G. M. Oliveira, F. Venturoli, C. M. Silva-Neto
Autor Correspondente: C. M. Silva-Neto | [email protected]

Palavras-chave: Cerrado, herbívoria, madeiras nobres, rebrota

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Trigona spinipes (abelhas-arapuá) atacam o broto apical da planta de Khaya ivorensis (mogno-africano), causando atrofia e brotação, provocando ramificações que irão depreciar o fuste se não manejado. Danos à cultura de K. ivorensis já foram relatados para o Brasil, porém nunca antes para a savana brasileira. O objetivo desta pesquisa foi realizar o levantamento do ataque de Trigona spinipes e relatar como primeiro registro a presença e o dano causado um plantio de mogno-africano na savana brasileira. A área apresenta cerca de 16,6 hectares de monocultivo de mogno-africano no município de Piracanjuba, Goiás, sendo utilizado 21 parcelas de 400 m², pré-definidas e o método de amostragem aleatória simples, nas quais foi realizado inventário florestal e observação de rebrotas da parte apical do caule e consequente desrama artificial das rebrotas. Também foram visualizadas as abelhas realizando atividade de forrageamento cortando os brotos de K. ivorensis. No plantio, 6,14% das árvores apresentaram rebrotas, podendo indicar a partir deste percentual a quantidade de árvores atacadas. O total de árvores com rebrota representa uma grande quantidade de árvores que poderão se desenvolver com problemas, gerando mais de um fuste ou galhos, assim impossibilitando que a madeira afetada seja utilizada para a finalidade de movelaria.