Comportamento do teste ergométrico em relação às fases do ciclo menstrual

Arquivos de Ciências da Saúde

Endereço:
Av. Brigadeiro Faria Lima, 5416 Vila São Pedro
São José do Rio Preto / SP
15090-000
Site: http://www.cienciasdasaude.famerp.br
Telefone: (17) 3201-5708
ISSN: 23183691
Editor Chefe: Claudia Bernardi Cesarino
Início Publicação: 31/12/2001
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

Comportamento do teste ergométrico em relação às fases do ciclo menstrual

Ano: 2004 | Volume: 11 | Número: 2
Autores: Solange M.P. Giacchetto, Moacir F. Godoy, Ivair de Almeida
Autor Correspondente: Solange Maria Pereira Giacchetto | [email protected]

Palavras-chave: Teste ergométrico, Mulher, Ciclo menstrual

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Objetivo - Avaliar se as respostas encontradas no teste ergométrico (TE) em mulheres na pré-menopausa com
dor precordial sofrem influência das fases folicular inicial (baixo nível de estrogênio) e/ou folicular tardia (alto
nível de estrogênio) do ciclo menstrual.
Método – Trabalho prospectivo, série de casos, que envolveu 20 mulheres com idade média de 39,4 ± 4,3 anos
e que estavam na pré-menopausa. Todas foram encaminhadas para TE para esclarecimento de dor precordial.
As pacientes não usavam anticoncepcionais e apresentavam ciclo menstrual regular. Foram realizados dois
TE, um nos três primeiros dias do início da menstruação (fase folicular inicial) e o outro no décimo quarto dia
do ciclo (fase folicular tardia), analisando-se frequência cardíaca, duplo produto, tempo de esforço e altera-
ções isquêmicas eletrocardiográficas. Na análise estatística, foi utilizado o teste t de Student emparelhado e o
teste exato de Fisher. Foram considerados significantes os valores de P<0,05.
Resultados – Nas fases folicular inicial e folicular tardia do ciclo menstrual, a duração do TE, a freqüência
cardíaca máxima (FC) e o duplo produto foram, respectivamente: 8,66 ± 2,07 e 8,75 ± 1,75 min (P=0,84); 153,90
± 23,66 e 159,30 ± 27,90 bpm (P=0,30); 23727,50 ± 5683,00 e 24604,00 ± 7028,10 bpm x mmHg (P=0,54). Em
dezessete pacientes (85%) o TE foi negativo para isquemia miocárdica nas duas fases do ciclo menstrual. Em
três pacientes, o TE foi positivo nas duas fases.
Conclusão – Apesar do pequeno número de pacientes estudadas, este estudo não demonstrou influência das
fases do ciclo menstrual no resultado do TE em mulheres na pré-menopausa com dor precordial.



Resumo Inglês:

Objective - To evaluate whether the answers found in premenopausal women ergometric test (EF) with precordial
pain, undergo influence from follicular initial phase (low level of estrogen) and/or follicular delayed phase
(high level of estrogen) of the menstrual cycle.
Methods – This prospective research is a series of cases which encloses 20 premenopausal women (average
age 39.4 ± 4.3 years). All of them have been referred to ergometric test for precordial pain explanation. The
patients presented regular menstrual cycle and did not use contraceptive. Two effort tests have been carried
through, one in the first three days of the menses (early follicular phase), other on the fourteenth day of the
cycle (delayed follicular phase), and heart rate, double product, effort length, and ischemic electrocardiography
alterations were analyzed in all patients. All the statistic analyses were performed using paired Student’s
t test and Fisher exact test. The values of P <0.05 were considered to be significant.
Results - In the early and delayed follicular phases of the menstrual cycle, the ergometric test length, the
maximum heart rate (HR) and the double product were respectively: 8.66 ± 2.07 and 8.75 ± 1.75 min (P = 0,84);
153.90 ± 23.66 and 159.30 ± 27.90 beats/min (P = 0.30); 23,727.50 ± 5,683.00 and 24,604.00 ± 7028.10 beats/min/
mmHg (P = 0,54). In seventeen patients (85%), the effort test was negative for myocardial ischemia in both
phases of the menstrual cycle, and in three patients, the ergometric test was positive in both phases.
Conclusion - In spite of the small number of patients tracked, this study this study did not prove influence of
the menstrual cycle phases in the outcome of women ergometric test in premenopause with precordial pain