CARACTERÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DE UM PROJETO DE EXTENSÃO EM AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA INFANTO-JUVENIL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDONÓPOLIS

Expressa Extensão

Endereço:
Rua Gomes Carneiro, 1 - Centro
Pelotas / RS
96010-610
Site: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/expressaextensao
Telefone: (53) 3284-3992
ISSN: 2358-8195
Editor Chefe: Paula Garcia Lima
Início Publicação: 31/05/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

CARACTERÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DE UM PROJETO DE EXTENSÃO EM AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA INFANTO-JUVENIL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDONÓPOLIS

Ano: 2020 | Volume: 25 | Número: 2
Autores: Rauni Jandé Roama-Alves, Bárbara David Rech, Ana Isabela Souza de Queiroz, Phillip Dyamond Gomes da Silva
Autor Correspondente: Expressa Extensão | [email protected]

Palavras-chave: Neuropsicologia. Prevalência. Psicologia Clínica. Avaliação Psicológica.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente estudo objetivou apresentar e caracterizar as variáveis demográficas do projeto de extensão “Avaliação Neuropsicológica para crianças e adolescentes: diagnósticos e condutas (NEUROPSI-I)”, da Universidade Federal de Rondonópolis. O período investigado foi de 2017 a 2018, anos iniciais de seu funcionamento. Foram analisados os bancos de dados dos prontuários pertencentes ao NEUROPSI-I, reservando as identidades dos atendidos. No total, o projeto atendeu 42 pacientes, dentre eles crianças e adolescentes, na faixa etária entre três e dezessete anos, de ambos os gêneros. Os resultados indicaram maiores frequências de: queixas narradas de “problemas comportamentais e emocionais”, pais com os níveis de escolaridade básica e superior, presença do gênero masculino, idades entre sete e doze anos, pacientes nos anos escolares do primeiro ciclo do Ensino Fundamental, pertencentes à escola pública, que já haviam passado por intervenções diversas (por exemplo, psicológica, fonoaudiológica, psiquiátrica, neurológica), encaminhamentos de psiquiatras e neurologistas, não uso de psicotrópicos, diagnóstico de Deficiência Intelectual e encaminhamentos para terapias não médicas (psicológica, fonoaudiológica e psicopedagógica). Espera-se que, futuramente, o projeto agregue uma equipe que apresente cunho interdisciplinar em suas avaliações neuropsicológicas. Desse modo, resultados mais fidedignos, sobre as variáveis demográficas, poderão ser mais bem estipulados.