AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE MÉTODOS EXTRATIVOS PARA OBTENÇÃO DE FLAVONÓIDES

Intellectus Revista Acadêmica Digital

Endereço:
Rod. Gov. Adhemar Pereira de Barros - Tanquinho Velho
Jaguariúna / SP
Site: http://revistaintellectus.com.br/Inicio.aspx
Telefone: (19) 3837-8500
ISSN: 16798902
Editor Chefe: Prof.ª Dr.ª Ana Maria Girotti Sperandio
Início Publicação: 20/10/2014
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Multidisciplinar

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE MÉTODOS EXTRATIVOS PARA OBTENÇÃO DE FLAVONÓIDES

Ano: 2019 | Volume: Especial | Número: Não se aplica
Autores: SILVA, Wellington Semensin CAMINADA, Suzete Maria Lenzi SILVA, Ricardo Alexandre Hakime
Autor Correspondente: SILVA, Wellington Semensin | resum[email protected]

Palavras-chave: Flavonóides, Psidium gujava, extração

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O projeto desenvolvido priorizou o estudo de metodologias de extração e quantificação do princípio ativo, flavonóide, em folha goiabeira (Psidium guajava). Entende-se por extração a retirada das substâncias de interesse da droga vegetal, da forma mais completa e seletiva possível, e para isso são utilizados um líquido ou uma mistura de líquidos de acordo com as características químicas das substâncias que se pretende extrair, ou seja, primeiramente deve-se saber a finalidade do extrato que se pretende preparar e baseado nisso o método deve ser o mais estável e eficiente possível (Simões, 2010). Dentre os métodos extrativos mais utilizados na obtenção de extratos brutos têm-se: a Maceração e a Turbólise. Para quantificação dos flavonóides foi utilizada a técnica de espectrofotmetria UV/Visível.O objetivo do projeto foi avaliar eficiência de extração de flavonóides utilizando as técnicas extrativas de maceração e de turbólise e também avaliar o tempo operacional dos processos de extração.Após a extração, foram obtidos os extratos brutos. Estes foram diluídos utilizando-se etanol 70%, solução de acetato de sódio 0,1M e solução de cloreto de alumínio 2% em etanol. As amostras foram incubadas em temperatura ambiente por 30 minutos e em seguida as absorbâncias foram medidas em espectrofotômetro no comprimento de onda de 425 nm. O teor de flavonóides nos extratos brutos foi quantificado utilizando padrão de quercetina nas concentrações de 0,00027; 0,00053; 0,00159; 0,0025; 0,00424 e 0,00530 mg/mL.Os resultados demonstraram que a técnica de extração turbólise foi mais eficiente que a técnica de maceração 72 horas, considerando teor de flavonóides (expresso em quercetina), tempo de extração e volume de solvente utilizado. Importante ressaltar que o uso de fitoterápicos como agentes de promoção de cura e bem estar tem crescido atualmente, necessitando cada vez mais de estudos sobre processos de obtenção, modo de ação e indicação destes compostos, assim como avaliação no que se refere aos dados analíticos e qualidade.