Teoria da Regulação e Crise do Fordismo

Multiface

Endereço:
Avenida Presidente Antônio Carlos, 6.627 - Faculdade de Ciências Econômicas - sala 3080 - Pampulha
Belo Horizonte / MG
31270901
Site: http://revistas.face.ufmg.br/index.php/multiface
Telefone: (31) 03409-7066
ISSN: 2358-9760
Editor Chefe: Ivan Prates Sternick
Início Publicação: 01/06/2007
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Administração, Área de Estudo: Economia

Teoria da Regulação e Crise do Fordismo

Ano: 2017 | Volume: 5 | Número: 2
Autores: Ana Carolina Bottega de Lima, Ivan Prates Sternick
Autor Correspondente: Ana Carolina Bottega de Lima | [email protected]

Palavras-chave: Teoria da Regulação, Teoria das crises, Crise do fordismo

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este trabalho trata da crise do fordismo, tendo como base a teoria das crises elaborada pela Teoria da Regulação, abordando também as origens e os fundamentos dessa escola. No contexto do fim dos anos de crescimento capitalista vigoroso, que se deu na década de 1970, a Teoria da Regulação emergiu como uma nova corrente do pensamento econômico, construindo uma análise do processo e da dinâmica de acumulação capitalista. Em particular, essa escola se consolidou na teoria econômica a partir da elaboração de sua teoria das crises. Assim, forneceu interpretações alternativas a crise dos anos 1970, se contrapondo às explicações da teoria econômica tradicional, ao considerar a crise como um fenômeno endógeno.  Partindo dessa proposta para compreender a crise do fordismo, encontrou-se uma teoria com amplo potencial de explicação, e a partir de seu estudo, pode-se obter uma compreensão mais ampla dos fenômenos econômicos.