A SOCIEDADE DO CONHECIMENTO E AS REFORMAS EDUCACIONAIS

Revista Geotemas

Endereço:
Rodovia BR-405 - Arizona
Pau dos Ferros / RN
59900-000
Site: http://periodicos.uern.br/index.php/geotemas
Telefone: (84) 9414-2227
ISSN: 2236-255X
Editor Chefe: Josué Alencar Bezerra
Início Publicação: 01/06/2011
Periodicidade: Bianual
Área de Estudo: Geografia, Área de Estudo: Planejamento urbano e regional

A SOCIEDADE DO CONHECIMENTO E AS REFORMAS EDUCACIONAIS

Ano: 2012 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: José Eustáquio de Sene
Autor Correspondente: José Eustáquio de Sene | [email protected]

Palavras-chave: revolução tecnológica, sociedade do conhecimento, mudanças sociais, reformas educacionais.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A atual revolução tecnológica vem impondo mudanças na economia, na cultura etc. É compreensível que imponha mudanças também no sistema educacional, que, em quase todos os países, vive pressionado pela necessidade de adaptação. Nesse contexto, o conhecimento ganha cada vez mais importância, a ponto de muitos autores afirmarem que vivemos em uma sociedade do conhecimento. Não por acaso, uma das justificativas mais freqüentes para as recentes reformas educacionais, recorrentes em diversos países, é a necessidade de adaptação do sistema educativo à sociedade do conhecimento. Por isso este artigo busca compreender o significado desse conceito, estabelecendo sua genealogia e analisando-o criticamente. Enfim, vivemos numa sociedade do conhecimento ou da informação? Ou simplesmente subsistimos atônitos numa confusa sociedade de dados?



Resumo Inglês:

It’s understandable that it also makes shifts in the educational system, which in several countries has faced a lot of pressure for adaptation. In this context, the knowledge has increased its importance – that’s why a lot of authors say that we´re living in the knowledge society. It’s not fortuity that one of the most common justifications for the latest educational reforms made in several countries is the need to adapt the educational system to the knowledge society. Therefore, this paper intends to comprehend the meaning of this concept, establishing its genealogy and critically analyzing it. At last, do we actually live in the knowledge society or in the information society? Or do we perplexingly survive in a confused data society?