A Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café: novos questionamentos para incontornáveis debates (1904-1913)

Mundos do Trabalho

Endereço:
Programa de Pós-Graduação em História – CFH, Campus Universitário – UFSC, Bairro Trindade
Florianópolis / SC
88040-970
Site: http://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/index
Telefone: (48) 3721-9359
ISSN: 19849222
Editor Chefe: Aldrin A. S. Castellucci
Início Publicação: 31/05/2009
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: História

A Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café: novos questionamentos para incontornáveis debates (1904-1913)

Ano: 2020 | Volume: 12 | Número: Não se aplica
Autores: Lívia Cintra Berdu
Autor Correspondente: Lívia Cintra Berdu | livia_be[email protected]

Palavras-chave: Trabalhadores, Sociedade Resistência, Rio de Janeiro

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O período compreendido entre as últimas décadas do século XIX e o início do século XX nas principais cidades do Brasil – incluindo o Rio de Janeiro – é marcado por uma ebulição política e um intenso processo de conscientização dos trabalhadores acerca de suas condições de vida e trabalho. Nesse contexto, a zona portuária da cidade consistia num dos principais espaços de articulação dos trabalhadores, e tinha a Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café como um grande exemplo de ferramenta para sua organização. Tal entidade possuía diversos traços advindos do período escravista, seja na composição étnico-racial de seus associados, ou em determinados elementos relacionados à organização desses sujeitos. Propomos, contudo, uma reaproximação do tema a partir de novas fontes no intuito de buscar novos questionamentos e suscitar novas reflexões, de forma a captar possíveis convergências entre as heranças provindas dos trabalhadores escravizados e suas formas de organização, por um lado, assim como novas perspectivas ideológicas oriundas das lutas dos trabalhadores europeus que se forjavam, por outro. Nesse sentido, podemos identificar em tal cenário bastante heterogêneo, alguns elementos de conflito entre os trabalhadores, mas, também, diversos aspectos de solidariedade de classe entre eles.



Resumo Inglês:

The period between the last decades of 19th century and first years of the 20th century on Brasil ́s principal cities – including Rio de Janeiro – is characterized by a political boiling and
an intense consciousness process of these workers about their life and work conditions. In this context, the city ́s port area consisted in one of the principal spaces of the workers articulation
and had the Sociedade Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café like a big example of instrument for their organization, beyond it possess a number of traits originated in slave
period, according to ethnic and racial composition of its members, or in determined elements related on these subjects organization. This article propose however, a new approach in this
subject using new sources in a intent of searching new interrogations and raise new reflections, in a way to capture possible combinations between the slaved workers legacy and their organization ways on one hand, and new ideological perspectives originated by the Europeans workers struggles that was being shaped, on the other. In these terms, we can identify on that heterogeneous scenario, some conflict elements between the workers, but also, different class solidarity aspects among them.