Objetos nulos, elipses de VP e retomadas pronominais na fala infantil em PB: uma reanálise do trabalho de Ayres e Othero (2016)

Domínios De [email protected]

Endereço:
Av. João Naves de Ávila, 2121 - Sala 1U-206 - Santa Mônica
Uberlândia / MG
38408-144
Site: http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem
Telefone: (34) 3239-4162
ISSN: 19805799
Editor Chefe: Guilherme Fromm
Início Publicação: 31/05/2007
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Linguística

Objetos nulos, elipses de VP e retomadas pronominais na fala infantil em PB: uma reanálise do trabalho de Ayres e Othero (2016)

Ano: 2018 | Volume: 12 | Número: 1
Autores: Mônica Rigo Ayres
Autor Correspondente: Mônica Rigo Ayres | [email protected]

Palavras-chave: Objetonulo, Elipse de VP, Retomada anafórica, Fala infantil, Português brasileiro

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Neste trabalho, revisitamos o estudo de Ayres & Othero (2016), sobre o condicionamento de objetos nulos e pronomes em PB, na retomada anafórica de objeto direto de 3ª pessoa, na fala infantil, a partir das duas hipóteses consolidadas na literatura, a saber: a hipótese do conjunto de traços de animacidade e especificidade (cf. Cyrino, 1994/1997 e Casagrande, 2007, por exemplo), e a hipótese do gênero semântico (cf. Creus e Menuzzi, 2004, Othero et al., 2016, por exemplo). Como em seu estudo esses autores não distinguiram elipses de VP de objetos nulos, aqui nós separamos esses dois tipos de categoria vazia e as analisamos. Além disso, verificamos se o condicionamento dos objetos nulos e das elipses de VP ocorre em contextos semelhantes, tendo em vista que essas estruturas possuem formas superficialmente parecidas.



Resumo Inglês:

In this text, we review the study of Ayres and Othero (2016), on the conditioning of null objects and pronouns in BP, concerning anaphoric direct object of third person in children’s speech. They based their analysis on the two hypotheses consolidated in the literature, namely the semantic gender hypothesis (cf. CREUS; MENUZZI, 2004;OTHEROet al., 2016, and others), the animacy and specificity hypothesis (c. CYRINO, 1994/1997; CASAGRANDE,2007, for example). Since Ayres and Othero (2016) did not distinguish VP ellipses from null objects, here we separate these two typesof empty categories and analyze them. In addition, we verify if the conditioning of the null objects and the VP ellipses occurs in similar contexts, considering that these structures have superficially similar forms.