O rádio como arma política no Ceará

Passagens

Endereço:
Avenida Mister Hull, s/n, Campus do Pici Instituto de Cultura e Arte - Pici
Fortaleza / CE
60440900
Site: http://periodicos.ufc.br/passagens
Telefone: (85) 3366-9224
ISSN: 2179-9938
Editor Chefe: Maria Érica de Oliveira Lima
Início Publicação: 30/11/2010
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Comunicação

O rádio como arma política no Ceará

Ano: 2015 | Volume: 6 | Número: 2
Autores: Márcia Vidal Nunes
Autor Correspondente: M. V. Nunes | [email protected]

Palavras-chave: Mídia, Política, Coronelismo eletrônico, campanha, instrumentalização.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O objetivo deste trabalho é mostrar o impacto da midiatização do fazer político nos processos eleitorais, no horário eleitoral gratuito no rádio, no período de 1998 a 2000, no Ceará. A pesquisa acompanha as campanhas políticas de vários candidatos através de sua ligação com rádios comunitárias sob seu controle político. Na primeira etapa, nos anos de 1997 e 1998, foram selecionadas as emissoras Rádio Sal da Terra 101.1 (Sobral), Rádio Emoção FM 104.9 (Fortaleza) e Rádio Juazeiro FM102.5 (Juazeiro do Norte), no ano de 1998. A trajetória de três candidatos (José Linhares – PPB – Sobral; Gorete Pereira - PFL – Fortaleza; José Arnon Bezerra – PSDB – Juazeiro do Norte), proprietários de emissoras denominadas comunitárias, foi acompanhada de perto durante esse período. Em 2000, foram acompanhadas duas emissoras de Fortaleza vinculadas a candidatos que estavam envolvidos no processo eleitoral: Portugal FM 97.7 e Mandacaru FM 98.5. São emissoras, patrocinadas por estes candidatos, com uma aparência de independentes. Procura-se compreender como é exercida esta nova forma de coronelismo que podemos classificar como eletrônico, que se concretiza através da utilização do rádio como arma política.