O PROTRÉPTICO DE ARISTÓTELES, O HORTÊNSIO DE CÍCERO E A REFERÊNCIA DE SANTO AGOSTINHO ÀS ILHAS DOS BEM-AVENTURADOS NO LIVRO DE TRINITATE

Basilíade

Endereço:
Rua Carmelo Rangel - 1200 - Batel
Curitiba / PR
80440-050
Site: https://fasbam.edu.br/pesquisa/periodicos/index.php/basiliade
Telefone: (41) 3243-9800
ISSN: 2596-092X
Editor Chefe: Irineu Letenski
Início Publicação: 27/01/2019
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Filosofia

O PROTRÉPTICO DE ARISTÓTELES, O HORTÊNSIO DE CÍCERO E A REFERÊNCIA DE SANTO AGOSTINHO ÀS ILHAS DOS BEM-AVENTURADOS NO LIVRO DE TRINITATE

Ano: 2021 | Volume: 3 | Número: 5
Autores: Jorge Luís Gutiérrez
Autor Correspondente: J. L. Gutiérrez | [email protected]

Palavras-chave: Agostinho, Aristóteles, Hortênsio, Protréptico, virtudes

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

No capítulo 9 do livro XIV de sua obra De Trinitate, Santo Agostinho tem como propósito responder à pergunta se as virtudes desaparecerão na vida futura. Responde que é uma questão controversa saber se as virtudes, que alimentam uma vida reta nesta existência de adversidade, deixarão de existir após termos sidos conduzidos à vida eterna, pois lá não precisaremos delas. Agostinho entende a vida eterna como a vida junto a Deus, portanto, uma vida de felicidade plena. Para exemplificar essa situação, ele cita o texto do Hortênsio no qual se fala da Ilha dos Bem-Aventurados, que na mitologia grega corresponde a um lugar de felicidade e de recompensa, equivalente aos Campos Elíseos; no caso de Agostinho, trata-se do Paraíso ou Éden dos cristãos. Ele conclui que na outra vida não precisaremos das quatro virtudes cardinais. Elas serão somente uma fraca lembrança deixada em nossa alma quando passamos por este mundo. O que Agostinho não sabia é que a citação do Hortênsio era, de fato, uma citação do Protréptico de Aristóteles.



Resumo Inglês:

In Chapter 9 of Book XIV of The Trinity, Saint Augustine intends to respond to the question whether the virtues will disappear in the future life. He answers that it is a controversial question as to know if the virtues, which nourish a right life in this adverse existence, will no longer exist after we have been brought into eternal life; there we will no longer need them. For Augustine, eternal life means a life close to God, therefore, a fully blessed life. To give an example of this, he quotes the Hortensius, where the author mentions the Island of the Blessed, which, in Greek mythology, corresponds to a place of bliss and recompense. This is the equivalent of the Paradise or Eden of the Christians. He concludes saying that, in the afterlife, will no longer need of the cardinal virtues. They will remain only as a pale remembrance left in our soul when we still were in this world. What Augustine did not know is that the quotation of Hortensiuswas in fact a quotationof Aristotle’s Protrepticus.