O IMPACTO DAS RESTRIÇÕES FINANCEIRAS NA PRÁTICA DO CONSERVADORISMO CONTÁBIL: UM ESTUDO DE 2012 A 2016

Revista Mineira de Contabilidade

Endereço:
Rua Cláudio Manoel - 639 - Savassi
Belo Horizonte / MG
30140-105
Site: http://revista.crcmg.org.br
Telefone: (31) 3269-8413
ISSN: 2446-9114
Editor Chefe: Profª. Dra. Nálbia de Araújo Santos
Início Publicação: 16/10/2000
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Ciências Sociais Aplicadas, Área de Estudo: Ciências Contábeis

O IMPACTO DAS RESTRIÇÕES FINANCEIRAS NA PRÁTICA DO CONSERVADORISMO CONTÁBIL: UM ESTUDO DE 2012 A 2016

Ano: 2019 | Volume: 20 | Número: 1
Autores: Weverton Eugenio Coelho, Eduardo Mendes Nascimento, Joao Paulo de Assis Valadares
Autor Correspondente: Weverton Eugenio Coelho | [email protected]

Palavras-chave: conservadorismo condicional, conservadorismo, restrição financeira

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O conservadorismo condicional é o reconhecimento, nas informações contábeis, das más notícias mais rapidamente do que o reconhecimento das boas notícias. Ele atua no combate a possíveis atitudes oportunistas do gestor, reduz o custo de monitoramento das partes interessadas e leva a empresa a reconhecer, de forma antecipada, possíveis perdas. Por outro lado, quando uma empresa pratica o conservadorismo, ela gera diferença de retorno futuro e consequentemente ganhos de menor qualidade ou menos sustentáveis. Por conta disso, o conservadorismo seria, em longo prazo, prejudicial à obtenção de recursos de fontes externas. O objetivo desse estudo foi avaliar os efeitos da situação de restrição financeira na prática do conservadorismo condicional. Adicionalmente ao objetivo principal, o modelo empírico adotado permitiu a constatação do conservadorismo nas empresas não restritas financeiramente. A amostra foi composta de empresas listadas na Brasil, Bolsa, Balcão (B3), no período de 2012 a 2016. O modelo empírico utilizado foi o de Ball e Shivakumar (2005), que usa a variação do lucro como proxy e identifica o grau de conservadorismo por meio de ganhos e perdas nos resultados contábeis. A estimação estatística foi realizada através de Mínimos Quadrados Generalizáveis Factíveis (FGLS). Como resultado, encontraram-se indícios que apoiam a conclusão de que o conservadorismo condicional pode ser encontrado nas empresas em geral, sendo estatisticamente menor a probabilidade de encontrá-lo nas empresas com restrição financeira.



Resumo Inglês:

Conditional conservatism is the recognition, in the accounting information, of bad news more quickly than the recognition of good news. It acts in the struggle against the opportunist attitudes of the manager, reduces the cost of monitoring the stakeholders and leads the company to recognize, in advance, possible losses. On the other hand, when a company practices conservatism, it generates a difference in future returns and consequently lower quality or less sustainable gains. Because of this, conservatism would in the long run be detrimental to getting resources from outside sources. The objective of this study was to evaluate the effects of the financial restraint situation in the practice of conditional conservatism. In addition to the main objective, the empirical model adopted allowed the verification of conservatism in companies not financially restricted. The sample was composed of companies listed in Brazil, Bolsa, Balcão (B3), between 2012 and 2016. The empirical model used was that of Ball and Shivakumar (2005), which uses the profit variation as proxy and identifies the degree of conservatism through gains and losses in the accounting results. The statistical estimation was carried out through Feasible Generalizable Least Squares (FGLS). As a result, evidence has been found to support the conclusion that conditional conservatism can be found in firms in general, with a statistically lower probability of finding it in financially constrained firms.