O fenômeno dêitico e o processo de flexão (pro)nominal na Libras

Domínios De [email protected]

Endereço:
Av. João Naves de Ávila, 2121 - Sala 1U-206 - Santa Mônica
Uberlândia / MG
38408-144
Site: http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem
Telefone: (34) 3239-4162
ISSN: 19805799
Editor Chefe: Guilherme Fromm
Início Publicação: 31/05/2007
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Linguística

O fenômeno dêitico e o processo de flexão (pro)nominal na Libras

Ano: 2018 | Volume: 12 | Número: 3
Autores: Ediane Silva Lima, Ronald Taveira da Cruz
Autor Correspondente: Ediane Silva Lima | [email protected]

Palavras-chave: Sinais dêiticos, Flexão, Libras

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Neste artigo discorremos sobre o uso e a relação dos sinais dêiticos pessoais como responsáveis pelo processo de concordância verbal na Libras. Além de defendermos que, os sinais dêiticos se flexionam do mesmo modo que os sinais nominais, isto é, recebem itens sublexicais distintos para indicar um ou outro sentido, também apontamos que esses sinais, devido ao processo de evolução natural das línguas naturais, evoluem dando origem a novas formas, como o sinal do pronome possessivo NOSSO, já que na Libras encontramos sinais distintos para esse sentido de posse. Desse dado, aliado aos estudos de Meier & Lillo-Martin (2013), e pautados em teóricos como Meier (1990), Ferreira (2010), Thompson et al (2013) dentre outros, indicamos que esses sinais dêiticos vêm se incorporando, ao longo do tempo, aos verbos simples  e ganham movimento no espaço neutro, indicados por moduladores espaciais, ou seja, transformam-se em verbos não simples - pois se deslocam espacialmente para concordar com o sujeito e/ou objeto. Esse fenômeno nos possibilitou ‘enxergar' que o caráter gestual nessa língua, devido o ato de apontar, ganhou novas possibilidades de uso e de sentido, assumindo então várias funções, às vezes concomitantemente, como descrito por esses teóricos. Desse modo, concluímos que esses sinais possuem uma capacidade para se comportar do mesmo modo que os sinais lexicais, mas sem perder seu caráter dêitico de apontar, de indicar e de localizar. E que, portanto, são responsáveis pelo processo de concordância verbal seja incorporado aos verbos não simples seja quando acompanham os verbos simples.



Resumo Inglês:

In this article we discus about the use and the relationship of personal deictic signs as responsible for the verbal agreement process in Brazilian Sign Language. In addition to defending the deictic signals flex the same manner as the nominal signals, i.e. receive sublexical different items to indicate either direction also pointed out that these signs, because the process of natural evolution of natural languages evolve give the new forms, as the sign of OUR possessive pronoun, as in Pounds find distinct signs for this sense of ownership. This data, combined with studies of Meier & Lillo-Martin (2013), and guided by theoretical and Meier (1990), Ferreira (2010), Thompson et al (2013) among others, indicate that these deictic signs come to incorporating the over time, the simple verbs and gain movement in neutral space, indicated by spatial modulators, ie, transformed into not simple verbs - for moving spatially to agree with the subject and / or object. This phenomenon allowed us to 'see' the sign character in that language, because the act of pointing, gained new possibilities of use and meaning, then assuming multiple roles, sometimes simultaneously, as described by these theorists. Thus, we conclude that these signals have a capacity to behave the same way as lexical signs, but without losing their deictic character point, to indicate and to locate. And, therefore, they are responsible for the verbal agreement process is not incorporated into the simple verbs is when accompanying simple verbs.