O enquadramento e o fora de campo em Videogramas de uma revolução

Passagens

Endereço:
Avenida Mister Hull, s/n, Campus do Pici Instituto de Cultura e Arte - Pici
Fortaleza / CE
60440900
Site: http://periodicos.ufc.br/passagens
Telefone: (85) 3366-9224
ISSN: 2179-9938
Editor Chefe: Maria Érica de Oliveira Lima
Início Publicação: 30/11/2010
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Comunicação

O enquadramento e o fora de campo em Videogramas de uma revolução

Ano: 2014 | Volume: 5 | Número: 1
Autores: Julia Fagioli
Autor Correspondente: J. Fagioli | [email protected]

Palavras-chave: Videogramas de uma revolução, mise-en-scène, enquadramento, fora de campo.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente artigo tem como objetivo analisar o enquadramento e o fora de campo em Videogramas de uma revolução (Harun Farocki e Andrei Ujica, 1991/1992) a partir de três gestos marcantes no filme: a mise-en-scène do poder ditatorial, as imagens amadoras e a tomada da emissora estatal pelos manifestantes. A partir da definição de Gilles Deleuze de enquadramento e fora de campo, procuramos demonstrar como se dá a vinculação entre as mises-en-scène e seus componentes por meio desses dois recursos da linguagem cinematográfica.