O Conceito de "Vontade" em O Mundo como Vontade e Representação de Arthur Schopenhauer

Revista Eros

Endereço:
Avenida da Universidade, 850 - Campus da Betânia - Alto da Brasília
Sobral / CE
62040370
Site: https://helius.uvanet.br/index.php/eros
Telefone: (88) 3611-6370
ISSN: 2357-8246
Editor Chefe: Fabrício Klain Cristofoletti
Início Publicação: 30/06/2013
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Filosofia

O Conceito de "Vontade" em O Mundo como Vontade e Representação de Arthur Schopenhauer

Ano: 2013 | Volume: 1 | Número: 1
Autores: Angeliana Lauriano Ferreira
Autor Correspondente: Angeliana Lauriano Ferreira | [email protected]

Palavras-chave: Vontade. Representação. Negação.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente texto apresenta o conceito de vontade no âmbito do pensamento de Arthur Schopenhauer, tendo como ponto de partida a sua obra máxima, O Mundo como Vontade e Representação (1851), nos detendo especificamente no livro IV, onde o autor irá relacionar esse conceito com noções presentes na existência humana, dentre elas o sofrimento, egoísmo, maldade. Nesse intuito, analisamos a compreensão schopenhaueriana de que a essência do mundo é a vontade, pois dela nenhum ser existente escapa, sendo essa caracterizada por uma sede incessante de se afirmar, o que determina o homem. Esse estará sempre disposto a servi-la, embora nunca a satisfaça, o que ocasiona um sofrimento sem fim. Após essa discussão finalizamos apresentando os dois caminhos propostos por Schopenhauer para suprimir a ação da vontade sobre o destino humano.