O cinema da contracultura na Guerra Fria e os novos paradigmas socioculturais

Multiface

Endereço:
Avenida Presidente Antônio Carlos, 6.627 - Faculdade de Ciências Econômicas - sala 3080 - Pampulha
Belo Horizonte / MG
31270901
Site: http://revistas.face.ufmg.br/index.php/multiface
Telefone: (31) 03409-7066
ISSN: 2358-9760
Editor Chefe: Ivan Prates Sternick
Início Publicação: 01/06/2007
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Administração, Área de Estudo: Economia

O cinema da contracultura na Guerra Fria e os novos paradigmas socioculturais

Ano: 2017 | Volume: 5 | Número: 1
Autores: Guilherme Fellipin dos Santos
Autor Correspondente: Guilherme Fellipin dos Santos | [email protected]

Palavras-chave: século XX, Guerra Fria, cinema, contracultura

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

O presente trabalho propõe uma análise acerca do que foi a Contracultura em seu contexto de Guerra Fria, e associa os questionamentos e desconstrução de paradigmas sociais à produção artística do período, especificamente do cinema (na França e nos Estados Unidos). Busca-se expor esse fenômeno social nas obras dos cineastas e como elas próprias produziam esse efeito contracultural. Para tanto, os filmes analisados serão “Atirem no Pianista” de François Truffaut, Masculim and Feminim de Jean-Luc Godard (esses dois primeiros para a questão da tendência contracultural francesa, Nouvelle Vague), Rebel without a cause de Nicholas Ray, Dr. Strangelove de Stanley Kubrick, Easy Rider de Dennis Hopper, e duas obras de Francis Coppola, Apocalypse Now e The Godfather.