O “VAI-E-VEM” EM SERRAS DA DESORDEM

Passagens

Endereço:
Avenida Mister Hull, s/n, Campus do Pici Instituto de Cultura e Arte - Pici
Fortaleza / CE
60440900
Site: http://periodicos.ufc.br/passagens
Telefone: (85) 3366-9224
ISSN: 2179-9938
Editor Chefe: Maria Érica de Oliveira Lima
Início Publicação: 30/11/2010
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Comunicação

O “VAI-E-VEM” EM SERRAS DA DESORDEM

Ano: 2013 | Volume: 4 | Número: 1
Autores: Bernardo Teodorico Costa Souza
Autor Correspondente: B. T. C. Souza | passagen[email protected]

Palavras-chave: Verdade, História, Poesia, Ressignificação

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este trabalho propõe, através de um diálogo com as colocações de Pasolini (Cinema de Poesia) e Deluze (Imagem-Tempo) sobre a poesia cinematográfica, apresentar o filme Serras da Desordem de forma distinta de suas habituais apresentações e, esquivando-se da referência categórica aos campos “documentario” e “ficção”, apresentar a potência experimental presente na narrativa que o filme faz do tempo/história.O texto a seguir parte de um recorrente modelo de abordagem teórica para, em seguida, apresentar uma outra alternativa a esse modelo e, dando enfase a determinados processos narrativos próprios a Serras da Desordem, destacar sua contribuição ao campo das relações entre Cinema e História.