MIGRAÇÃO, ACULTURAÇÃO E SAÚDE BUCAL DE BRASILEIRAS E BRASILEIROS RESIDENTES EM LISBOA, PORTUGAL

Revista Ciência Plural

Endereço:
Av. Senador Salgado Filho 1787, Lagoa Nova
Natal / RN
59056-000
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/rcp
Telefone: (84) 3442-2338
ISSN: 2446-7286
Editor Chefe: Iris do Céu Clara Costa
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Saúde coletiva

MIGRAÇÃO, ACULTURAÇÃO E SAÚDE BUCAL DE BRASILEIRAS E BRASILEIROS RESIDENTES EM LISBOA, PORTUGAL

Ano: 2016 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: Lyria Maria dos Reis, Natália Ramos
Autor Correspondente: Lyria Maria dos Reis | [email protected]

Palavras-chave: Migração internacional; Aculturação; Imigrantes brasileiros; Saúde bucal; Portugal

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Introdução: Milhões de pessoas são migrantes internacionais no mundo contemporâneo. Desde 2007 os
brasileiros são a maior comunidade imigrante em Portugal. Atualmente residem legalmente no país 82.590
indivíduos, 31.700 homens (38,38%) e 50.890 mulheres (61,62%). O aprendizado e manutenção de práticas
preventivas são muito importantes para a saúde bucal e para a saúde em geral. As crenças, os valores e as
políticas de saúde bucal são fundamentais para o desenvolvimento de hábitos saudáveis nesta área. A prevenção
dos principais problemas de saúde bucal deve começar precocemente e ser mantida ao longo de toda a vida.
Objetivo: Conhecer e compreender os efeitos da migração internacional e da aculturação sobre os hábitos, os
comportamentos e as práticas preventivas em saúde bucal de imigrantes brasileiros em Portugal. Métodos:
Realizou-se um estudo exploratório com metodologia quantitativa e qualitativa utilizando um inquérito por
entrevista com questões fechadas e abertas especialmente construído para esta pesquisa. Foram entrevistados
120 imigrantes brasileiros, 67 mulheres e 53 homens, residentes em Portugal há um ano ou mais, com 18 anos ou
idade superior que, após esclarecimento, concordaram em participar. Resultados Os principais resultados
indicaram que a maioria dos entrevistados realiza escovação dental 2 a 3 vezes ao dia e usa o fio/fita dental 1 vez
ao dia, sendo as mulheres que a fazem em maior número. Em contexto migratório ocorreu uma
alteração/diminuição na procura por serviços de saúde bucal. Conclusão: A mudança de país leva a uma ruptura
das relações sociais dos imigrantes. O processo de aculturação, o desconhecimento da nova realidade social e
cultural, do modo de funcionamento das instituições do país de acolhimento, sobretudo dos serviços de saúde e a
falta de relações de confiança influenciam a saúde bucal de imigrantes brasileiros residentes em Lisboa.