LUGONES CONTRA A MODERNIDADE: PELA DECOLONIZAÇÃO DO GÊNERO

Revista Sísifo

Endereço:
Av. Transnordestina, s/n
Feira de Santana / BA
44036-900
Site: http://www.revistasisifo.com
Telefone: (75) 9880-7931
ISSN: 2359-3121
Editor Chefe: Yves São Paulo e Marcelo Vinicius
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Filosofia

LUGONES CONTRA A MODERNIDADE: PELA DECOLONIZAÇÃO DO GÊNERO

Ano: 2017 | Volume: 1 | Número: 6
Autores: Dantas, L, F.
Autor Correspondente: Yves São Paulo e Marcelo Vinicius | [email protected]gmail.com

Palavras-chave: Decolonialismo, Feminismo Decolonial, Gênero/sexualidade

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Em seu texto “Heterosexualism and the colonial modern gender system” María Lugones propõe uma relação entre colonialismo e gênero apresentando que a ideia binária de gênero e a heterossexualidade como norma não são dados universais mas, ao contrário, são frutos da ciência moderna impostos pelo processo de colonização. Através da ideia de colonialidade do poder de Aníbal Quijano, Lugones desenvolve a colonialidade do gênero, aprofundando o debate de Quijano sobre a colonialidade, sua dimensão identitária e racial, para a dimensão de gênero e sexualidade. Pretende-se apresentar de que forma a modernidade, e sua pretensa universalidade, permeia as teorias de gênero e quais as consequências do deslocamento desse eixo teórico a partir da historização de conceitos como “gênero” e “heterossexualidade” no pensamento de Lugones.