Literatura de cordel no Brasil: um ponto no mar da lusofonia

Odisseia

Endereço:
Avenida Senador Salgado Filho, 3000 - Lagoa Nova
Natal / RN
59078-970
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/odisseia/index
Telefone: (84) 3342-2220
ISSN: 1983-2435
Editor Chefe: Katia Aily F. de Camargo e Orison Marden Bandeira de Melo Júnior
Início Publicação: 31/07/2008
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Letras, Área de Estudo: Linguística

Literatura de cordel no Brasil: um ponto no mar da lusofonia

Ano: 2014 | Volume: 0 | Número: 13
Autores: Paulo Geovane Silva, Douglas Tomácio
Autor Correspondente: P. G. Silva, D. Tomácio | [email protected]

Palavras-chave: língua portuguesa, diáspora, literatura brasileira, literatura de cordel.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Pensar nos processos de transplantação e fixação da língua portuguesa envolve considerar também os meios que permitiram essa consolidação linguística. No caso do Brasil, o português ainda é uma língua relativamente homogênea, apesar das muitas variações fonéticas que existem dentro do país. Nesse sentido, parece plausível pensar que a literatura popular portuguesa – em folhetos – foi a única que, testemunhando o percurso dos portugueses e de sua língua materna, sobreviveu até os dias de hoje, resultando naquilo a que muitos especialistas da cultura popular brasileira designam como literatura de cordel. Assim sendo, este artigo pretende demonstrar a maneira pela qual a história da literatura de cordel brasileira – sua apropriação, fixação e desenvolvimento – colaborou, ainda que minimamente, para o processo de consolidação da língua portuguesa num território em que muitas outras expressões linguísticas circulavam e, como se sabe, ainda circulam.