LEISHMANIOSE VISCERAL HUMANA NO MUNICÍPIO DE NATAL-RN: ANÁLISE CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICA E ESPACIAL

Revista Ciência Plural

Endereço:
Av. Senador Salgado Filho 1787, Lagoa Nova
Natal / RN
59056-000
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/rcp
Telefone: (84) 3442-2338
ISSN: 2446-7286
Editor Chefe: Iris do Céu Clara Costa
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Saúde coletiva

LEISHMANIOSE VISCERAL HUMANA NO MUNICÍPIO DE NATAL-RN: ANÁLISE CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICA E ESPACIAL

Ano: 2016 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: Isabelle Ribeiro Barbosa
Autor Correspondente: Isabelle Ribeiro Barbosa | [email protected]

Palavras-chave: Leishmaniose Visceral, Doenças endêmicas, Epidemiologia, Análise espacial, Vigilância em saúde.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Introdução: Considerada uma doença negligenciada, a Leishmaniose visceral apresentou expansão da área
de abrangência e aumento significativo do número de casos nas últimas décadas no Brasil. Objetivo: Analisar
a distribuição espacial e as variáveis clínicas e epidemiológicas dos casos registrados da LV no município de
Natal-RN no período de 2007 a 2015. Métodos: Foram analisados 199 casos registrados no Sistema de
Informação de Agravos de Notificação. As variáveis clínicas e epidemiológicas analisadas foram a idade e
sexo, infecção por HIV, manifestações clínicas, a evolução e o critério de confirmação do caso. Foi realizada a
distribuição espacial dos casos por bairro. Resultados: o distrito norte da cidade apresentou os bairros com
maior incidência, com expansão da doença para o distrito oeste, em seguida para o distrito sul e leste. O sexo
masculino foi o mais acometido (65,3%), as principais manifestações clínicas apresentadas foram febre (85%) e
esplenomegalia (76,5%), 38% dos casos acometeu indivíduos de 0 a 15 anos, 19,5% de comorbidade com o
HIV e taxa de letalidade de 4%. Conclusões: No município de Natal, a LV apresenta-se em expansão para
áreas consideradas indenes, registrando altas taxas de infecção em adultos jovens e de coinfecção com o HIV.