INFLUÊNCIA DAS VARIÁVEIS DE GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA NA GOVERNANÇA CORPORATIVA DAS COMPANHIAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA

Revista Mineira de Contabilidade

Endereço:
Rua Cláudio Manoel - 639 - Savassi
Belo Horizonte / MG
30140-105
Site: http://revista.crcmg.org.br
Telefone: (31) 3269-8413
ISSN: 2446-9114
Editor Chefe: Profª. Dra. Nálbia de Araújo Santos
Início Publicação: 16/10/2000
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Ciências Sociais Aplicadas, Área de Estudo: Ciências Contábeis

INFLUÊNCIA DAS VARIÁVEIS DE GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA NA GOVERNANÇA CORPORATIVA DAS COMPANHIAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA

Ano: 2017 | Volume: 18 | Número: 3
Autores: Francisco Felipe da Silva, Égon José Mateus Celestino, Clayton Levy Lima de Melo, Anderson Luiz Rezende Mól
Autor Correspondente: Francisco Felipe da Silva | [email protected]

Palavras-chave: governança corporativa, internacionalização de empresas, variáveis de gestão econômico-financeira

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Esta pesquisa objetivou investigar se as variáveis de gestão econômico-financeira e de internacionalização são relevantes para explicar a existência de melhores práticas de Governança Corporativa (GC) das companhias listadas na BM&FBovespa. Dessa forma, foram analisadas 379 companhias listadas na Bolsa, a partir de dados semestrais disponibilizados para o biênio 2014-2015, cujo tratamento deu-se por meio de modelos de regressão logística. Como variável dependente dicotômica empregou-se a probabilidade de ocorrência das melhores práticas de GC e, como variáveis independentes, utilizaram-se indicadores de gestão econômico-financeira e a emissão de American Depositary Receipts (ADRs) como indicador de internacionalização das empresas. Evidenciou-se que as variáveis tamanho da empresa e emissão de ADRs apresentaram resultados positivos e significativos. Isso revela que as empresas maiores tendem a manter as boas práticas de governança, pois estão mais susceptíveis à ação dos investidores externos. No caso da emissão de ações no mercado acionário norte-americano, comprova-se a teoria de que empresas com expansão no volume de negociações de mercado tendem a apresentar melhores níveis de governança como forma de atrair investimentos. Em contraponto, as variáveis desempenho, recebíveis e intangibilidade não se apresentaram significantes para justificar as melhores práticas de GC.



Resumo Inglês:

This research aims to investigate if the economic and financial management and internationalization variables are relevant to explain the existence of best practices of Corporate Governance (CG) on the companies listed on BM&FBovespa. Thus, 379 listed companies were analyzed, based on semiannual data available for the 2014-2015 biennium, whose treatment was based on logistic regression models. As a dichotomous dependent variable, we used the probability of occurrence of the best CG practices and as independent variables we used economic-financial management indicators and the issuance of American Depositary Receipts (ADRs) as an indicator of the companies’ internationalization. The results show that the variables, company size and ADR issuance, presented positive and significant results. This reveals that the largest companies tend to maintain good governance practices, since they are more susceptible to the action of the external investors. In the case of the issuance of shares in the US stock market, the theory that companies with expansion in the volume of market negotiations tend to present better levels of governance, as a way to attract investment, is proven. In contrast, the variables performance, receivables and intangibility were not significant to justify the best practices of CG.