Igreja, ditadura e livre comércio: as relações entre Brasil e Reino Unido durante o Regime Militar

Atualidade Teológica

Endereço:
Rua Marquês de São Vicente, 225 - Departamento de Teologia - PUC-Rio - Gávea
Rio de Janeiro / RJ
22451-900
Site: http://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/rev_ateo.php?strSecao=INDEX
Telefone: (21) 3527-1974
ISSN: 16763742
Editor Chefe: Abimar Oliveira de Moraes
Início Publicação: 30/11/1997
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Teologia

Igreja, ditadura e livre comércio: as relações entre Brasil e Reino Unido durante o Regime Militar

Ano: 2020 | Volume: 24 | Número: 66
Autores: Graham Gerald McGeoch ,Wanderley Pereira da Rosa
Autor Correspondente: G. G. McGeoch, W. P. Rosa | [email protected]

Palavras-chave: Comissão Nacional da Verdade (CNV), Governo Militar, Brasil, Reino Unido, Relações Igreja-Estado

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A ditatura militar e seu legado ganharam novas pesquisas no Brasil e no exterior com a documentação disponibilizada ao público pela Comissão Nacional da Verdade (2014). Este artigo se propõe investigar a colaboração do governo britânico, através do seu Ministério das Relações Exteriores e de seus serviços de inteligência, com o regime militar brasileiro, inaugurado com o golpe de 1964. Essa colaboração, jamais reconhecida, visava preservar e incrementar o livre comércio entre as duas nações. Paralelamente, as igrejas nacionais britânicas (da Inglaterra e Escócia), bem como a imprensa e a sociedade civil, pressionavam o governo de seu país por um posicionamento fi rme frente às denúncias de tortura, violações dos direitos humanos e prisões contra dissidentes políticos em curso no Brasil. A pressão exercida pelas igrejas britânicas foi municiada pela intensa troca de informações com igrejas e lideranças eclesiásticas brasileiras no âmbito do movimento ecumênico. A baliza principal desta pesquisa é a farta documentação disponibilizada pelo Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade.



Resumo Inglês:

The military dictatorship and its legacy gained new research interest in Brazil and outside Brazil with the documentation of the National Truth Commission (2014) made available to the public. This article aims to investigate the collaboration of the British government, through its Foreign and Commonwealth Offi ce and its intelligence services, with the Brazilian military regime, inaugurated with the 1964 coup. This collaboration, never recognized, aimed to preserve and increase free trade between the two nations. At the same time, the British national churches (of England and Scotland), as well as the press and civil society, were pressuring the government of their country to take a fi rm stand against allegations of torture, human rights violations and arrests of political dissidents in Brazil. The pressure exerted by British churches was fueled by the intense exchange of information with Brazilian churches and ecclesiastical leaders within the scope of the ecumenical movement. The main source of this research is the abundant documentation made available by the Final Report of the National Truth Commission.