GLOBALIZAÇÃO DA AGRICULTURA NA OCEANIA: ÓLEO DE PALMA, A ÚLTIMA FRONTEIRA

Revista Geotemas

Endereço:
Rodovia BR-405 - Arizona
Pau dos Ferros / RN
59900-000
Site: http://periodicos.uern.br/index.php/geotemas
Telefone: (84) 9414-2227
ISSN: 2236-255X
Editor Chefe: Josué Alencar Bezerra
Início Publicação: 01/06/2011
Periodicidade: Bianual
Área de Estudo: Geografia, Área de Estudo: Planejamento urbano e regional

GLOBALIZAÇÃO DA AGRICULTURA NA OCEANIA: ÓLEO DE PALMA, A ÚLTIMA FRONTEIRA

Ano: 2012 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: Gleydson Pinheiro Albano
Autor Correspondente: Gleydson Pinheiro Albano | [email protected]

Palavras-chave: Globalização da Agricultura. Oceania. Óleo de Palma. posse da terra.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

No decorrer das ultimas décadas do século XX e inicio do século XXI, com o avanço das fronteiras agrícolas, novos espaços são incorporados ou reincorporados a produção de monoculturas para a exportação, trazendo profundos impactos para as populações tradicionais que habitam as fronteiras agrícolas. O objetivo deste trabalho é analisar a expansão da monocultura de óleo de palma na última fronteira agrícola do Pacífico, os países ilhas da Oceania, Papua Nova Guiné e Ilhas Salomão. Para isso em um primeiro momento se percorre os conceitos de Globalização e Globalização da Agricultura e sua trajetória histórica até os dias atuais. Em um segundo momento se explicará a dinâmica dessa Globalização na Oceania, focando nos países subdesenvolvidos da Oceania, na Melanésia, Micronésia e Polinésia. Após isso, foca-se no desenvolvimento da agricultura para exportação do óleo de palma desde os primeiros cultivos experimentais na África até o boom na área do Sudeste Asiático, mais precisamente na Indonésia e Malásia. Por fim, analisa-se a chegada da fronteira agrícola de óleo de palma na Oceania, focando-se principalmente nos impactos na posse de terras local, pois a referida posse na Oceania é historicamente comunal. Com a chegada da monocultura de óleo de palma, esse sistema comunal passa a sofrer pressões da referida agricultura para exportação.



Resumo Inglês:

During the last decades of the twentieth and early twenty-first centuries, with the advance of agricultural frontiers, new spaces are incorporated or reincorporated into the production of monocultures for export, bringing profound impacts for the people who inhabit the traditional agricultural frontiers. This paper aims at analyzing the expansion of monoculture oil palm in the last agricultural frontier of the Pacific, island countries of Oceania, Papua New Guinea and Solomon Islands. To do so at first we go through the concepts of Globalization and the Globalization of Agriculture and its historical background to the present day. In a second stage we explain the dynamics of globalization in Oceania, focusing on developing countries of Oceania, Melanesia, Micronesia and Polynesia. After that we focus on the development of agriculture for export of palm oil from the first experimental crops in Africa until the boom in the area of Southeast Asia, specifically Indonesia and Malaysia. Finally, we analyze the arrival of the agricultural frontier for palm oil in Oceania, focusing primarily on the impacts on local land holding, since that holding is historically communal in Oceania. With the advent of monoculture palm oil, this communal system is under pressure of that export agriculture.