ENTRE INVENÇÕES E REPRESENTAÇÕES: A AMAZÔNIA CONCEBIDA PELAS NARRATIVAS

Das Amazônias

Endereço:
Rodovia BR-364 - Distrito Industrial
Rio Branco / AC
69920-900
Site: https://periodicos.ufac.br/index.php/amazonicas/index
Telefone: (68) 9208-5377
ISSN: 2674-5968
Editor Chefe: Nedy Bianca Medeiros de Albuquerque
Início Publicação: 31/12/2018
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Ciências Humanas

ENTRE INVENÇÕES E REPRESENTAÇÕES: A AMAZÔNIA CONCEBIDA PELAS NARRATIVAS

Ano: 2020 | Volume: 3 | Número: 2
Autores: E. N. S. Albuquerque, J. F. da Silva
Autor Correspondente: E. N. S. Albuquerque | [email protected]m

Palavras-chave: amazônia, narrativa, representação

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este trabalho tem o objetivo de dialogar com autores que se propuseram a repensar os escritos amazônicos, mediante uma perspectiva de desconstrução de concepções que narraram a região enquanto exótica, atrasada e primitiva, repensando as estruturas de dominação, baseada em uma definição de uma Amazônia inventada, a partir de parâmetros que articularam elementos identitários, exercendo uma autoridade sobre ela e sobre os povos que nela habitam. Utilizamos Gondim (2007) em suas reflexões sobre uma invenção da Amazônia, iniciada a partir do processo de colonização, problematizando as categorizações de Cunha (1999) pela sua apresentação da região como um vazio demográfico, terra sem história e demais definições que também ressaltamos em Batista (2006), ambos constituindo uma narrativa de inferioridade em comparação ao que estava determinado enquanto modelo de “civilização”. Em Certeau (1982) utilizamos percursos teóricos em torno das construções de representações que se estabelecem como uma produção do real, assim como as produções discursivas que produzem seus domínios sobre o outro, que aparece narrado e determinado a partir de uma referência de sociedade. Para a proposta de desconstrução dessas narrativas, dialogamos com Albuquerque Júnior (2012) pelas suas contribuições em torno das construções de estereótipos em torno de grupos e regiões, ressaltando os efeitos dessas construções, assim como também as perspectivas articuladas por Albuquerque (2016), em uma proposta de rompimento com sentidos e representações que buscam homogeneizar o território amazônico como um conceito natural.



Resumo Inglês:

This work aims at dialoguing with authors who proposed to rethink the Amazonian writings, through a perspective of deconstruction of conceptions that narrated the region as exotic, backward and primitive, rethinking the structures of domination, based on a definition of an invented Amazon, from parameters that articulate identity elements, exercising authority over it and the peoples that inhabit it. We used Gondim (2007) in his reflections on an invention of the Amazon, initiated from the colonization process, problematizing the categorizations of Cunha (1999) for his presentation of the region as a demographic void, land without history and other definitions that we also emphasized in Batista (2006), both constituting a narrative of inferiority in comparison to what was determined as a model of "civilization". In Certeau (1982) we used theoretical paths around the constructions of representations that establish themselves as a production of the real, as well as discursive productions that produce their domains over the other, which appears narrated and determined from a society reference. For the proposal of deconstruction of these narratives, we dialogue with Albuquerque Júnior (2012) for his contributions around the constructions of stereotypes around groups and regions, highlighting the effects of these constructions, as well as the articulated perspectives by Albuquerque (2016), in a proposal of rupture with senses and representations that seek to homogenize the Amazonian territory as a natural concept.