Efeito dos agentes de cross-linking na durabilidade da interface adesiva

Revista Naval de Odontologia - Naval Dental Jornal (ano 2019)

Endereço:
Praça Barão de Ladário - 1 - Centro
Rio de Janeiro / RJ
20091-000
Site: https://portaldeperiodicos.marinha.mil.br/index.php/odontoclinica/index
Telefone: (21) 2104-6588
ISSN: 0102-7506
Editor Chefe: Daniela Cia Penoni
Início Publicação: 31/10/1953
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: Ciências da Saúde, Área de Estudo: Odontologia

Efeito dos agentes de cross-linking na durabilidade da interface adesiva

Ano: 2019 | Volume: 46 | Número: 1
Autores: C. M. Barboza, E. V. Maroun
Autor Correspondente: Eduardo Victor Maroun | [email protected]

Palavras-chave: Metaloproteinases, Dentina e reagentes para ligações cruzadas

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

As metaloproteinases (MMPs) são enzimas colagenolítcas endógenas, capazes de degradar as fibrilas de colágeno presentes na dentina, gerando falhas da interface adesiva. Foram propostos agentes de cross-linking para  diminuir essa degradação. O objetivo desta revisão de literatura foi analisar a ação de diferentes agentes de cross-linking sobre as MMPs. A seleção dos artigos foi realizada por meio de uma busca na base de dados PubMed/MEDLINE. A amostra final foi composta por 40 estudos publicados entre 2018 e 2010. Os estudos atuais apresentaram os agentes de cross-linking (cabordiimida, glutaraldeído, proantocianidina, riboflavina/ UV-A e quitosana) com vantagens como inespecificidade em relação aos tipos de MMPs, aumento da resistência da fibra colágena e possibilidade de bloquear o sítio de clivagem da enzima. Observou-se que a cabordiimida, riboflavina/UV-A, o glutaraldeído, a proantocianidina e a quitosana apresentaram resultados positivos na diminuição da degradação da interface adesiva. A carbodiimida e riboflavina/UV-A não são citotóxicas, diferentemente do glutaraldeído. A proantocianidina, quando incorporada no adesivo, apesar de interferir na polimerização dos monômeros adesivos, pode ser efetiva quando utilizada incorporada ao condicionamento ácido. A quitosana é capaz de reforçar as fibrilas de colágeno. Assim, foi possível conhecer mais sobre a ação dos agentes de cross-linking disponíveis. No entanto, há necessidade de mais pesquisas sobre esses agentes.

 



Resumo Inglês:

Metalloproteases are endogenous collagenolytic enzymes, capable of degrading the collagen fibrils present in the dentin, producing adhesive interface failures. Cross-linking agents has been proposed to reduce this degradation. The aim of this literature review was to analyze the action of different cross-linking agents on MMPs. The search was conducted in the PubMed database. The final sample consisted of 40 studies published between 2018 and 2010. Current studies have shown cross-linking agents (cabordiimide, glutaraldehyde, proanthocyanidin, riboflavin / UV-A and chitosan) present some advantages as nonspecificity to type of MMPs, collagen fiber’s toughness development and prevent bonding to the cleavage site of the enzyme. For this reason, it is necessary to know the action of the available cross-linking agents. It was observed that  Cabordiimide, riboflavin / UV-A, glutaraldehyde, proanthocyanidin and chitosan presented positive results in reducing degradation of the adhesive interface. Carbodiimide and riboflavin / UV-A are non-cytotoxic, unlike glutaraldehyde. Proanthocyanidin incorporated into the adhesive interferes with the polymerization of the adhesive monomers. Chitosan is able to reinforce collagen fibrils. Thus, it was possible to know more about the action of the available cross-linking agents.  However, there is a need for more research on these agents.