DISCRIMINAÇÃO VIVENCIADA POR PESSOAS QUE VIVEM COM HIV/AIDS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE: UM ESTUDO QUALITATIVO

Revista Ciência Plural

Endereço:
Av. Senador Salgado Filho 1787, Lagoa Nova
Natal / RN
59056-000
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/rcp
Telefone: (84) 3442-2338
ISSN: 2446-7286
Editor Chefe: Iris do Céu Clara Costa
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Saúde coletiva

DISCRIMINAÇÃO VIVENCIADA POR PESSOAS QUE VIVEM COM HIV/AIDS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE: UM ESTUDO QUALITATIVO

Ano: 2016 | Volume: 2 | Número: 3
Autores: Ricardo Takeda Lelis, Gabriella Barreto Soares, Artênio José Ísper Garbin, Cléa Adas Saliba Garbin
Autor Correspondente: Gabriella Barreto Soares | [email protected]m.br

Palavras-chave: HIV; Discriminação social; Pessoal de saúde.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Introdução: Já se passaram mais de três décadas desde a descoberta da AIDS, e as pessoas que vivem
com HIV ainda são estigmatizadas não só pela sociedade, como também nos serviços assistenciais de
saúde. Objetivos: Diante disso, o objetivo deste estudo é analisar as situações discriminatórias na
assistência a saúde de pessoas com HIV/AIDS. Materiais e Métodos: Foram realizadas entrevistas semiestruturadas,
após o consentimento livre e esclarecido, com 19 pessoas que vivem com HIV/AIDS
assistidas por ONGs/AIDS de quatro municípios brasileiros, e que afirmaram previamente já terem sofrido
algum tipo de discriminação por profissionais de saúde. As entrevistas foram gravadas e posteriormente
transcritas e analisadas utilizando-se a análise de conteúdo. Resultados: As atitudes discriminatórias
ocorreram por meio do atendimento diferenciado, recusa de tratamento ou pela utilização de medidas
extras de biossegurança, tendo ocorrido inclusive em instituições de ensino superior na área da saúde.
Conclusão: É necessária a adoção de estratégias para combater a ocorrência de tais atos objetivando-se
a humanização na assistência a saúde de pessoas com HIV/AIDS e a melhoria na qualidade de vida
desses pacientes.



Resumo Inglês:

Introduction: Three decades will have passed since the discovery of AIDS, and the people living with
HIV/AIDS still were estigmatizated not only in the society, as well as in health care services.Objective: It
aimed to analyze the discriminatory situations in the assistance to the health of HIV-positive individuals.
Methods: It was carried out face to face semi-structuralized interviews with nineteen people living with
HIV/AIDS who had been discriminated by health care workers. These people were attended by Not
Governmental Organizations for AIDS (NGO/AIDS) from four Brazilian cities. The interviews were recorded
and then transcribed and analyzed through the content analysis. Results: The discriminatory attitudes
occurred through the differentiated attendance, refusal of treatment or by the adoption of extra precautions
measures, having also occurred in colleges with courses in health area. Conclusions: The adoption of
strategies to fight against the occurrence of such acts is necessary aiming at human assistance to the
health of HIV-positive patients and the improvement in the life quality of these patients.