Revista Mineira de Contabilidade

Endereço:
Rua Cláudio Manoel - 639 - Savassi
Belo Horizonte / MG
30140-105
Site: http://revista.crcmg.org.br
Telefone: (31) 3269-8413
ISSN: 2446-9114
Editor Chefe: Profª. Dra. Nálbia de Araújo Santos
Início Publicação: 16/10/2000
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Ciências Sociais Aplicadas, Área de Estudo: Ciências Contábeis

Discriminação salarial entre homens e mulheres no mercado de trabalho dos contadores do nordeste brasileiro

Ano: 2017 | Volume: 18 | Número: 2
Autores: Gilvan Medeiros de Santana Junior, Aldo Leonardo Cunha Callado
Autor Correspondente: Gilvan Medeiros de Santana Junior | [email protected]

Palavras-chave: teoria da discriminação salarial, remuneração, contador

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Com este estudo, buscou-se analisar a existência de discriminação salarial entre homens e mulheres no mercado de trabalho dos contadores da Região Nordeste do Brasil. As Teorias Econômicas apresentam explicações de fatores que determinam as variações dos salários dos trabalhadores, tais como investimento formal em educação, segmento econômico empresarial, região do país, entre outros. No entanto, os economistas clássicos constataram a existência de disparidades salariais entre indivíduos com características semelhantes, o que deu origem à Teoria da Discriminação Salarial (TDS) como explicação desse fenômeno. A TDS é apoiada por vários modelos teóricos, sendo o mais conhecido o proposto por Becker (1957). Esta teoria defende que há discriminação no mercado, pois indivíduos com escolaridade e capacidade produtiva iguais recebem remunerações diferentes em razão do gênero e da raça. A amostra da pesquisa compreendeu 14.855 observações de profissionais de contabilidade da Região Nordeste brasileira. Os dados foram coletados a partir dos microdados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), disponibilizados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente ao ano de 2014. Por meio do método Oaxaca-Blinder decomposition, observou-se que os profissionais que possuem a titulação de mestrado são mais bem remunerados quando comparados aos que possuem apenas o curso de graduação. Notou-se também que as mulheres recebem remuneração aproximadamente 14% menor do que os homens, sendo, em média, dessa diferença, 15% (coeficiente das características observáveis 0,0216) explicados pelos atributos utilizados no modelo, e 85% (coeficiente do efeito discriminação 0,1232) representados pela existência de discriminação entre gênero, conforme preceitua o modelo de Oaxaca-Blinder (1973).



Resumo Inglês:

This study aimed to analyze the existence of wage discrimination between men and women in accountants labor market in the Northeast Region of Brazil. Economic Theories show explanations of factors that determine the variations of workers’ salaries, such as: formal investment in education, business economic segment, region of the country among others. However, the classical economists verified the existence of wage disparities between individuals with similar characteristics, which gave rise to the Theory of Wage Discrimination (TDS) as an explanation to this phenomenon. The TDS is supported by several theoretical models, the best known being the one proposed by Becker (1957). This theory argues that there is discrimination in the market, since individuals with equal education and productive capacity receive different remunerations due to gender and race. The survey sample comprised 14,855 observations of accounting professionals from the Brazilian Northeast region. The data were collected from the RAIS (Annual Relation of Social Information) microdata, made available by the Ministry of Labor and Employment (MTE) for the year 2014. Through the OaxacaBlinder decomposition method, it was observed that professionals who have a higher education degree receive a higher salary when compared to the ones who have only the graduation and that women receive a salary approximately 14% lower than men on average, where 15% (coefficient of Observable 0.0216) is explained by the attributes used in the model and 85% (coefficient of the discrimination effect 0.1232) represents the existence of discrimination between genders, according to the Oaxaca-Blinder model (1973).