Diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas no município de Pouso Alegre - MG

Revista Mineira de Recursos Hídricos (RMRH)

Endereço:
Rodovia Papa João Paulo II 4143 - Prédio Minas - 1º andar - Serra Verde
Belo Horizonte / MG
31630-900
Site: http://rmrh.igam.mg.gov.br
Telefone: (31) 3915-1568
ISSN: 2675-3359
Editor Chefe: Marília Carvalho de Melo
Início Publicação: 01/01/2020
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: Engenharia sanitária, Área de Estudo: Multidisciplinar

Diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas no município de Pouso Alegre - MG

Ano: 2022 | Volume: 3 | Número: Não se aplica
Autores: J. S. Balbino, F. S. Braz, V. da F. C. Monteiro
Autor Correspondente: V. da F. C. Monteiro | [email protected]

Palavras-chave: USO E OCUPAÇÃO DO SOLO, RECURSOS HÍDRICOS, SANEAMENTO BÁSICO.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A intensa atividade antrópica, como uso incorreto do solo, agricultura, pecuária, falta de saneamento básico e desmatamento, provoca incontáveis problemas em bacias hidrográficas, comprometendo o equilíbrio dos ecossistemas, a qualidade da água, e, consequentemente, a saúde e o bem-estar da população. Para assegurar a conservação nessas áreas, é preciso adquirir conhecimentos sobre aspectos socioambientais, desde escalas menores, como microbacias. Diante disso, objetivou-se realizar um diagnóstico dos problemas socioambientais da microbacia Anhumas, inserida na sub-bacia do Rio Mandu, em Pouso Alegre - MG. O instrumento de coleta de dados foi um questionário aplicado aos moradores maiores de 18 anos. O questionário foi respondido por 80 moradores, sendo um representante de cada propriedade rural visitada. Verificou-se que a maioria das propriedades utiliza cisternas para captação de água subterrânea. Em um percentual menor, o poço artesiano (23,75%) e a mina d’água (7,50%) também são fontes de água para o uso nas propriedades rurais da região. A baixa utilização de mina d’água e a ocorrência de nascentes somente em 22,5% das propriedades revelam a importância de ações de educação ambiental na região sobre a conservação dos recursos hídricos. Verificou-se precariedade nos tratamentos de efluentes gerados na microbacia Anhumas, com maior utilização de fossa rudimentar. Os resultados obtidos neste trabalho podem subsidiar projetos e políticas públicas sobre recursos hídricos, restauração florestal, saneamento básico e agricultura sustentável na região.



Resumo Inglês:

The intense water activity, such as incorrect use of soil activity, agriculture, livestock, lack of basic sanitation and deforestation, causes countless problems in hydrographic basins, compromising the balance of ecosystems, water quality, and consequently, the health and well-being of the population. To ensure conservation in these areas, it is necessary to acquire knowledge about socio-environmental aspects, from smaller scales, such as microbasins. Therefore, the objective of this study was to carry out a diagnosis of the socio-environmental problems of the Anhumas microbasin , located in the Mandu River hydrographic sub-basin, in Pouso Alegre - MG. The data collection instrument was a questionnaire applied to residents over 18 years of age. The questionnaire was answered by 80 residents, one representative of each rural property visited. It was found that most properties use cisterns to capture groundwater. In a smaller percentage, the artesian well (23.75%) and the water mine (7.50%) are also sources of water for use on rural properties in the region. The low use of water mines and the occurrence of springs in only 22.5% of the properties make it important for environmental education actions in the region on the conservation of water resources. It was verified the precariousness in the treatment of effluents generated in the Anhumas watershed with greater use of rudimentary cesspools. The results of this work can support projects and public policies on water resources, forest restoration, basic sanitation and sustainable agriculture in the region.