A CONSTRUÇÃO DE UMA AGENDA DE GESTÃO COMPARTILHADA PARA A REOORGANIZAÇÃO DA DEMANDA EM SAÚDE BUCAL

Revista Ciência Plural

Endereço:
Av. Senador Salgado Filho 1787, Lagoa Nova
Natal / RN
59056-000
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/rcp
Telefone: (84) 3442-2338
ISSN: 2446-7286
Editor Chefe: Iris do Céu Clara Costa
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Saúde coletiva

A CONSTRUÇÃO DE UMA AGENDA DE GESTÃO COMPARTILHADA PARA A REOORGANIZAÇÃO DA DEMANDA EM SAÚDE BUCAL

Ano: 2016 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: Lúcia Maria Lima Lemos Melo, Suzely Adas Saliba Moimaz, Cléa Adas Saliba Garbin, Artênio José Ísper Garbin, Nemre Adas Saliba.
Autor Correspondente: Lúcia Maria Lima Lemos de Melo | [email protected]

Palavras-chave: Saúde Bucal. Agenda de Saúde. Avaliação em Saúde. Gestão em Saúde.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Introdução: A saúde bucal na Estratégia Saúde da Família representa um grande desafio para os gestores quando assumem o compromisso de desenvolver ações de promoção da saúde, prevenção de doenças e reabilitação dos indivíduos com a racionalização no uso dos recursos. A utilização de ferramentas de gestão faz-se necessária para garantir a equidade e integralidade das ações. Objetivo: O objetivo neste estudo foi avaliar a efetividade da implantação de uma agenda de atividades na melhoria do acesso aos serviços de saúde bucal.Métodos: Trata-se de uma pesquisa-ação realizada em um município do Estado de São Paulo, o qual foi selecionado com base nos seguintes critérios: existência de equipes de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família, atenção primária e secundária em saúde bucal. Os dados foram obtidos por meio de análise do Plano Municipal de Saúde, do relatório do Programa de Monitoramento e Avaliação da Qualidade do Ministério da Saúde, entrevistas com o gestor, equipes de saúde e avaliação da produção ambulatorial.Resultados: Os resultados estão apresentados em três dimensões: construção da agenda; atividades realizadas e avaliação da agenda implantada. Foi realizada oficina para apresentação dos resultados e quatro meses antes e quatro meses após a implantação da agenda, foram avaliadas as seguintes variáveis em uma equipe de saúde bucal: primeira consulta programática, consultas de urgência, tratamentos completados e procedimentos realizados. Verificou-se que houve aumento de 63% na cobertura dos pacientes atendidos na primeira consulta, redução de 30% dos casos de urgência; aumento de 11% na cobertura de tratamentos completados e aumento no número de procedimentos.Conclusões: Concluiu-se que a agenda construída de acordo com os princípios e diretrizes do SUS foi facilitadora na reorganização do processo de trabalho promovendo a melhoria do acesso aos serviços de saúde bucal.



Resumo Inglês:

Introduction: Oral health in the Family Health Strategy is a major challenge for managers when they are committed to developing health promotion, disease prevention and rehabilitation of individuals with the rational use of resources. The use of management tools is necessary to ensure the fairness and integrity of the shares.Objectives: The aim of this study was to evaluate the effectiveness of implementation of a schedule of activities to improve access to oral health services.Methods: This is an action research carried out in a municipality of São Paulo, which was selected based on the following criteria: existence of oral health teams in the Family Health Strategy, primary and secondary care in oral health. Data were obtained through analysis of the Municipal Health Plan, the Monitoring and Evaluation Programme of the Ministry of Health Quality report, interviews with the manager, health teams and evaluation of outpatient services.Results: The results are presented in three dimensions: construction agenda; activities and evaluation of the implantedagenda. Workshop was held to present the results months before and four months after the implementation of the agenda, we were assessed the following variables in a team of oral health: first programmatic consultation, emergency consultations, completed treatments and procedures performed. It was found that there was 63% increase in the coverage of patients seen at the first visit, 30% of emergency cases; increase of 11% in the supplemented treatments coverage and increased number of procedures. Conclusions: It was concluded that the built-in agenda in accordance with the principles and guidelines of SUS was facilitating the reorganization of the work process promoting improved access to oral health services.