CONHECIMENTOS E PRÁTICAS DE SAÚDE BUCAL POR PACIENTES INTERNADOS E EQUIPE HOSPITALAR

Revista Ciência Plural

Endereço:
Av. Senador Salgado Filho 1787, Lagoa Nova
Natal / RN
59056-000
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/rcp
Telefone: (84) 3442-2338
ISSN: 2446-7286
Editor Chefe: Iris do Céu Clara Costa
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Saúde coletiva

CONHECIMENTOS E PRÁTICAS DE SAÚDE BUCAL POR PACIENTES INTERNADOS E EQUIPE HOSPITALAR

Ano: 2016 | Volume: 2 | Número: 3
Autores: Anderson de Souza Fernandes, Gustavo Barbalho Guedes Emiliano, Ana Rafaela Luz de Aquino Martins, Georgia Costa de Araújo Souza
Autor Correspondente: Anderson de Souza Fernandes | [email protected]

Palavras-chave: Saúde bucal; Higiene bucal; Assistência hospitalar; Serviços hospitalares; Educação em saúde; Assistência integral à saúde.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Introdução: Indivíduos hospitalizados mantêm maior atenção para as doenças de base, logo,
negligenciam outros cuidados como a higiene bucal. Não obstante, a equipe hospitalar multidisciplinar,
na ausência do cirurgião-dentista, em geral não se considera responsável pelos cuidados bucais dos
pacientes. A negligência com os cuidados odontológicos favorece a proliferação de microrganismos
patogênicos e o desenvolvimento de doenças biofilme dependente associada a causas de doenças
sistêmicas. Objetivos: Identificar os conhecimentos e práticas de saúde bucal dos pacientes
hospitalizados, além de analisar as ações de promoção e prevenção em saúde bucal prestada pelos
profissionais de um Hospital de referência para a Região do Seridó, Rio Grande do Norte. Métodos:
Trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório e transversal, realizada com 166 pacientes e 50
profissionais da equipe hospitalar. Utilizou-se de entrevistas semiestruturadas como instrumento de
coleta de dados. Resultados: No período da internação hospitalar, 85,5% (n=142) dos pacientes
estavam com escova e creme dental, porém 15,7% (n=26) não escovaram os dentes e 18,1% (n=30)
escovaram apenas uma vez em todo o período da internação. O fio dental não foi utilizado por 97,6%
(n=162) dos entrevistados. Ademais, 97,6% (n=162) dos pacientes não receberam quaisquer orientações
de saúde bucal pelos profissionais. Por outro lado, 58,0% (n=29) da equipe hospitalar consideram seus
conhecimentos sobre saúde bucal insatisfatórios. Conclusão: Em sua maioria, os pacientes
negligenciam os hábitos de higiene bucal, situação agravada pela não inclusão da saúde bucal na rotina
de cuidados dos profissionais para com os enfermos. Independentemente da presença constante ou não
de cirurgiões-dentistas em âmbito hospitalar, é fundamental que os pacientes sejam cercados de práticas
integrais de cuidado, de forma a auxiliar na recuperação da sua saúde.



Resumo Inglês:

Introduction: Hospitalized individuals keep more attention to the underlying diseases. Consequently,
they neglect other care such as oral hygiene. Nevertheless, the multidisciplinary hospital staff, in the
absence of dentists in general is not responsible for the oral care of patients. Objective: To identify the
knowledge and oral health practices of hospitalized patients, and to analyze the actions of promotion and
prevention in oral health professionals provided by a reference hospital for Seridó Region, Rio Grande do
Norte. Methods: This is an exploratory and transversal research conducted with 166 patients and 50
professionals from the hospital staff. We used semi-structured interviews as a data collection instrument.
Results: In hospital length of stay, 85.5% (n=142) of patients had toothbrush and toothpaste, but 15.7%
(n=26) did not brush their teeth and 18.1% (n=30) only brushed once in the entire period of
hospitalization. Dental floss was not used by 97.6% (n = 162) of respondents. In addition, 97.6% (n = 162)
of patients did not receive any oral health guidelines by the professionals. On the other hand, 58.0%
(n=29) of the hospital staff considered unsatisfactory their knowledge about oral health. Conclusions: It
is a fact that some patients neglect oral hygiene habits, in addition to not be routine professional care of
the oral health of the sick. Regardless of the constant presence or absence of dentists in the hospital
environment, it is essential that patients are surrounded by care of integral practices in order to assist in
the recovery of his health.