CONDIÇÕES DE TRABALHO E QUALIDADE DE VIDA DE CIRURGIÕES-DENTISTAS NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

Revista Ciência Plural

Endereço:
Av. Senador Salgado Filho 1787, Lagoa Nova
Natal / RN
59056-000
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/rcp
Telefone: (84) 3442-2338
ISSN: 2446-7286
Editor Chefe: Iris do Céu Clara Costa
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Saúde coletiva

CONDIÇÕES DE TRABALHO E QUALIDADE DE VIDA DE CIRURGIÕES-DENTISTAS NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

Ano: 2015 | Volume: 1 | Número: 2
Autores: Susely Adas Saliba Moimaz, Adriana Cristina Oliva Costa, Nemre Adas Saliba, Danielle Bordin, Tânia Adas Saliba Rovida, Cléa Adas Saliba Garbin.
Autor Correspondente: Suzely Adas Saliba Moimaz  | [email protected]r

Palavras-chave: Odontólogos, Qualidade de Vida, Ambiente de Trabalho.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Introdução: O exercício profissional do cirurgião-dentista o expõe a riscos ocupacionais, advindos do ambiente de trabalho e da profissão, que interferem em sua qualidade de vida. Objetivo: Nesse estudo transversal, tipo inquérito e observacional, o objetivo foi verificar a satisfação e a qualidade de vida, além da saúde de cirurgiões-dentistas do sistema público, avaliando as variáveis relacionadas ao trabalho no SUS: satisfação com emprego, ambiente físico odontológico, segurança, saúde, lazer e renda. Metodologia: Compõe o universo da pesquisa 83 profissionais de 12 municípios do Departamento Regional de Saúde XV –São José do Rio Preto/SP. A coleta de dados foi feita por meio de entrevistas, utilizando-se um roteiro semi-estruturado. Resultados: Os resultados apontam que, do total de 53 profissionais que sentem algum tipo de dor, 75% relataram que esta interfere no trabalho. Dentre todos entrevistados (83), 70% não consideram o ambiente físico de trabalho saudável; 69% consideram seus ambientes de trabalho “bastante”ou “extremamente” seguros; apenas 28% possuem “muito” e “completamente” oportunidade de lazer; 90% não têm dinheiro suficiente para satisfazer suas necessidades mas 39% considera ter “bastante” e 61% atribuem “extremamente” sentido ao trabalho que fazem. Conclusão: Conclui-se que os Cirurgiões-dentistas estão satisfeitos com o emprego no SUS e julgam seu trabalho de extrema importância. Entretanto, apontam fatores negativos que denotam a falta de organização do trabalho e o ambiente físico de trabalho insalubre. Os desconfortos térmico e sonoro, assim como a dor, são as principais queixas relatadas. A segurança não é um problema no local de trabalho, contudo a renda e o lazer, para amaioria, são insatisfatórios.



Resumo Inglês:

The practice of his profession exposes the dental surgeon to occupational risks, coming from his work environment and the type of activity he performs, which interfere in his quality of life. Objective: In this cross-sectioned inquiry and observational type study, the aim was to verify. Methodology: The research universe was composed by 83 professionals from 12 municipalities of the Regional Health Department XV –São José of Rio Preto/SP. Data collection was realized by means of interviews, using a semi-structured questionnaire. Results: The results showed that, from the total amount of the 53 professionals who feel some kind of pain; 75% related that the pain interferes with their work. Among all respondents (83), 70% did not consider the work environment healthy; 69% considered their working facilities “quite” or “extremely” safe; only 28% have “a lot” and “complete” leisure opportunities; 90% have not enough money to fulfill their necessities and 39% “enough” and 61% “extremely”, attribute meaning to the work they accomplish. It can be concluded that dental surgeons are satisfied with their work and consider it as extremely important. Conclusion: On the other hand, they underline negative factors: the lack of work organization; the unhealthy physical work environment, being the thermal and sonorous discomforts the main complaints, as well as the pain, even if, contradictorily, they feel safe at their workplace. Besides this, they bring out that they have little money to satisfy their necessities and few leisure opportunities.