A blusa e a urna: metamorfoses do associativismo de trabalhadores em Pernambuco entre o Império e a República

Mundos do Trabalho

Endereço:
Programa de Pós-Graduação em História – CFH, Campus Universitário – UFSC, Bairro Trindade
Florianópolis / SC
88040-970
Site: http://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/index
Telefone: (48) 3721-9359
ISSN: 19849222
Editor Chefe: Aldrin A. S. Castellucci
Início Publicação: 31/05/2009
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: História

A blusa e a urna: metamorfoses do associativismo de trabalhadores em Pernambuco entre o Império e a República

Ano: 2020 | Volume: 12 | Número: Não se aplica
Autores: Felipe Azevedo Souza
Autor Correspondente: Felipe Azevedo Souza | [email protected]

Palavras-chave: trabalhadores, cultura política, eleições, associativismo, República

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A Liga Operária foi a primeira organização de Pernambuco a disputar eleições com uma pauta programática voltada aos interesses dos trabalhadores e seus candidatos eram representantes da classe operária. Isso ocorreu já no primeiro ano republicano. O acompanhamento da trajetória da Liga abarca um momento de transição na atuação política dos trabalhadores urbanos organizados. O novo regime, a abolição da escravidão e a difusão de ideais socialistas tangenciaram considerável renovação de símbolos (o orgulho em trajar a blusa proletária) e estratégias de ação política (a disputa pelas urnas) daquele grupo de trabalhadores. Para dimensionar os limites e possibilidades deste cenário, o presente artigo busca colocar em perspectiva a atuação pregressa dos membros da Liga pelo universo associativo da capital pernambucana – através de mutualistas, irmandades e sociedades abolicionistas. E, em um segundo momento, analisar a trajetória eleitoral do grupo.



Resumo Inglês:

The Liga Operária was the first organization in Pernambuco to run elections with a programmatic agenda focused on the workers concerns, its candidates were representatives of the working class. This happened in the first republican year. The Liga's trajectory encompasses a moment of transition in the political actions of organized urban workers. The new regime, the abolition of slavery, and the spread of socialist ideals have biased a considerable renewal of symbols (the pride in wearing the proletarian blue collar) and strategies for political action (the dispute at the polls) of that group. In order to dimension the limits and possibilities of this scenario, this article seeks to put in perspective the past performance of the members of the Liga through the associative universe of the capital of Pernambuco - through mutualists, catholic brotherhoods and abolitionist societies. And, also, to analyze the electoral trajectory of the group.