Biodiversidade, Estado brasileiro e Religião na Amazônia

Horizonte

Endereço:
Av. Dom José Gaspar, 500 – Prédio 04,
Belo Horizonte / MG
Site: http://periodicos.pucminas.br/index.php/horizonte
Telefone: (31) 3319-4633
ISSN: 21755841
Editor Chefe: Antonio Geraldo Cantarela/Rodrigo Coppe Caldeira
Início Publicação: 31/12/1996
Periodicidade: Trimestral
Área de Estudo: Teologia

Biodiversidade, Estado brasileiro e Religião na Amazônia

Ano: 2010 | Volume: 8 | Número: 17
Autores: Deis Elucy Siqueira
Autor Correspondente: Deis Elucy Siqueira | d[email protected]

Palavras-chave: biodiversiade, religiosidade, amazônia, encantaria, políticas estatais

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

A partir do final do século passado, na esteira das preocupações e debates sobre a
biodiversidade, chega-se à afirmação da importância da Amazônia. No bojo dessa
dinâmica, colocam-se também as pressões internacionais e as políticas estatais para a
região e para as populações tradicionais, nela concentradas. Até então alijadas dos
interesses políticos do Estado, estas populações passam agora a ser vistas como
detentoras de culturas, de saberes “locais”, cruciais diante da necessidade “global” de
conservação da biodiversidade. Em estreita mescla com os saberes tradicionais,
expressam-se inumeráveis formas de religiosidade, dentre as quais se destacam a
“encantaria” e a pajelança. Em relação à Amazônia brasileira, esse lugar central ocupado
pela religiosidade é tratado via três eixos: presença da Igreja Católica e de outras
organizações religiosas em seus processos organizativos; politização da natureza e da
religiosidade associada à emergência de múltiplas identidades coletivas; importância da
“encantaria” e da pajelança ecológica para a conservação da biodiversidade.



Resumo Inglês:

From the end of the last century, at the base of the concerns and debates on biodiversity,
one comes to asserting the importance of the Amazon. Amid this dynamic, there are also
international pressure and public policies for the region and its traditional people. It is
known that such populations have Ordinarily being shut out from the political interests of
the state. However, these traditional population is beginning to be understood as having
cultures, there is to say, "local" knowledge, given the crucial need for "global "
biodiversity conservation. Closely intertwined with traditional knowledge, innumerable
forms of religiosity is expressed, among which is highlighted the so called “encantaria”
and “pajelança”. Regarding the Brazilian Amazon, this central place occupied by
religiosity is handled via three routes: the presence of the Catholic Church and other
religious organizations in their organizational processes; politicization of nature and of
religiosity associated with the emergence of multiple collective identities; the importance
of the so called "encantaria” and of the ecological “pajelança” (shamanism) towards
conservation of biodiversity.