A Argumentação em cartas de suicídio: análises textual/discursiva e retórica sobre o amor como motivo para o suicídio

Diálogo das Letras

Endereço:
Sala do GPET - Campus Avançado Profa. Maria Elisa de Albuquerque Maia BR 405, Km 153, Bairro Arizona
Pau dos Ferros / RN
59900000
Site: http://periodicos.uern.br/index.php/dialogodasletras/index
Telefone: 84 3351 2560
ISSN: 2316-1795
Editor Chefe: Rosângela Alves dos Santos Bernardino
Início Publicação: 29/02/2012
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Letras

A Argumentação em cartas de suicídio: análises textual/discursiva e retórica sobre o amor como motivo para o suicídio

Ano: 2013 | Volume: 2 | Número: 1
Autores: E. de M. Catelão
Autor Correspondente: E. de M. Catelão | [email protected]

Palavras-chave: Argumentação, Produções de suicidas, Linguística textual.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este artigo trata de uma das análises realizadas em uma pesquisa de doutorado que tinha como foco o estudo linguístico das formas e processos argumentativos presentes em textos produzidos por suicidas. A tese foi voltada ao estudo dos campos de investigação textual/discursivo e retórico que contavam com poucos trabalhos anteriores. O corpus foi coletado, em sua maioria, em inquéritos policiais arquivados no Arquivo Nacional do Rio de Janeiro (processos abertos entre os anos de 1890 a 1940). Criou-se um modelo de análise inspirado em análises realizadas por Jean-Michel Adam, alterando-se alguns pontos. Os limites da análise foram divididos nos planos textual/discursivo (direcionado à descrição de aspectos composicionais e provenientes das atividades sociodiscursivas da linguagem) e retórico (inseridos conceitos provenientes da Retórica e Nova Retórica com vistas às escolhas dos argumentos e às projeções ethos, pathos e logos). Desenvolveu-se o estudo sob a hipótese central de que o suicida, no limite de algumas crenças, elaboraria um discurso de relativa estabilidade e direcionado à exclusão social. O recorte aqui delineado aborda um dos casos em que a motivação para o suicídio apresentou-se relacionada ao amor como motivo para o suicídio em uma argumentação de ameaça de suicídio seguida de homicídio. A análise desse e dos outros documentos coletados permitiu demonstrar que esses textos se enquadram em um plano de representações construídas sobre ações em dois movimentos: escolha pela morte voluntária e elaboração de uma mensagem escrita, nem sempre centrada na apresentação de justificativas para o ato suicida.



Resumo Inglês:

This article is about one of a research analyzes in doctorate that was focused on the study of linguistic forms and processes present in argumentative texts produced by suicide. The doctorate thesis was devoted to the study was grounded on textual / discursive and rhetorical research fields which had little previous work. The corpus was collected, mostly in police investigations filed in the National Archives (ArquivoNacional) in Rio de Janeiro (open cases between 1890 and 1940). An analytical model was developed inspired by analyses carried out by Jean-Michel Adam (ADAM, 2008 and ADAM, MAINGUENEAU &HEIDMANN, 2010), altering some points. The limits of the analysis were divided into two levels: textual / discursive and rhetorical levels. The textual / discursive level was directed to the description of compositional aspects from social discursive activities of language. In the rhetorical level, concepts were inserted from the New Rhetoric and Rhetorical in order to examine the choices of arguments and the ethos, pathos and logos projections. This study was carried out under the main assumption that suicide, on the edge of some beliefs, would draw a relatively stable speech towards social exclusion. The note outlined here addresses one of the cases where the motivation for suicide presented related to love as a reason for suicide of argumentation in a treat homicide followed by suicide. The analyses of these and some others documents collected were fitted in a plan of representations constructed on actions in two stages: the choice of voluntary death and preparing a written message, not always focused on presenting justifications for the suicidal act.