ANÁLISE DE REDES SOCIAIS: A RECIPROCIDADE ENTRE USUÁRIOS E PROFISSIONAIS NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Revista Ciência Plural

Endereço:
Av. Senador Salgado Filho 1787, Lagoa Nova
Natal / RN
59056-000
Site: http://www.periodicos.ufrn.br/rcp
Telefone: (84) 3442-2338
ISSN: 2446-7286
Editor Chefe: Iris do Céu Clara Costa
Início Publicação: 31/12/2014
Periodicidade: Quadrimestral
Área de Estudo: Saúde coletiva

ANÁLISE DE REDES SOCIAIS: A RECIPROCIDADE ENTRE USUÁRIOS E PROFISSIONAIS NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Ano: 2018 | Volume: 4 | Número: 1
Autores: Ricardo Henrique Vieira de Melo, Mércia Lima de Melo, Rosana Lúcia Alves de Vilar
Autor Correspondente: Ricardo Henrique Vieira de Melo | [email protected]

Palavras-chave: Rede Social; Estratégia Saúde da Família; Atenção Primária à Saúde.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Introdução:Na sociologia, rede social é definida como um conjunto de participantes unidos por ideias em torno de valores e interesses compartilhados, que mantém relações de reciprocidade. Objetivo:Analisar as redes sociais locais em saúde a partir da interação entreusuários e profissionais de uma unidade da Estratégia Saúde da Família. Métodos:Estudo qualitativo exploratório com dados obtidos a partir de entrevistas individuais semiestruturadas e debates em grupos focais, estimulados pela Metodologia de Análise de Redes do Cotidiano, pertinente para abordar a complexidade das relações sociais e mapear os diferentes conteúdos expressos e as formas de mobilização coletiva. A análise desses dados foi realizada através da Técnica de Análise Temática de Conteúdo e interpretados à luz das Teorias da Dádiva e do Reconhecimento. Resultados:Os sujeitos visualizaram: Rede Virtual; Rede de Atenção à Saúde; Redes de Usuários; Rede Pessoal; Conselho Comunitário; Escolas. As funções identificadas no mapeamento foram: companhia social; apoio emocional; guia cognitivo e conselheiro; regulação social; ajuda material de serviços; e acesso a novos contatos. Encontramos duas categorias, na percepção dos sujeitos, sobre a formação de redes sociais na saúde: Diálogo e Encontro. Conclusões:A formação de redes sociais ocorre a partir de interações cotidianas entre pessoas. A aposta no circuito da dádiva e do reconhecimento recíproco, durante o trânsito dos sujeitos pelas redes sociais do cotidiano pode ser capaz de tecer uma práxis transformadora, pela busca e alcance de confiança, respeito e estima, nos espaços de encontro.



Resumo Inglês:

Introduction:In sociology, social network is defined as a set of participants united by ideas around shared values and interests, which maintains relations of reciprocity. Objective:Analyze local social networks in health from the interaction between users and professionals from a unit of the Family Health Strategy. Methods:Qualitative exploratory study using data obtained from semi-structured individual interviews and focus group discussions, stimulated by Network Analysis Methodology of Everyday Life, appropriate toaddress the complexity of social relations and mapping the expressed different contents and forms of collective mobilization. The data analysis was performed using the technique of a content analysis and interpreted in the light of theories of Giving and Recognition. Results:The subjects viewed: Virtual Network; Network Health Care; Users networks; Personal network; Community Council; Schools. The functions identified in mapping were: social company; emotional support; cognitive guide and counselor; social regulation; Service support materials; and access to new contacts. We found two categories, the subjects' perception on the formation of social networks in health: Dialogue and Encounter. Conclusions: The formation of social networks occurs from everydayinteractions between people. Betting on donation and reciprocal recognition circuit during the transit of persons for social networking of everyday life may be able to weave a transformative praxis and the search range of trust, respect and esteem in meeting spaces.