“Nós somos os últimos proletários do Brasil!”: associativismo, imprensa e trabalho no Rio de Janeiro da virada do século (1880-1910)

Mundos do Trabalho

Endereço:
Programa de Pós-Graduação em História – CFH, Campus Universitário – UFSC, Bairro Trindade
Florianópolis / SC
88040-970
Site: http://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/index
Telefone: (48) 3721-9359
ISSN: 19849222
Editor Chefe: Aldrin A. S. Castellucci
Início Publicação: 31/05/2009
Periodicidade: Anual
Área de Estudo: História

“Nós somos os últimos proletários do Brasil!”: associativismo, imprensa e trabalho no Rio de Janeiro da virada do século (1880-1910)

Ano: 2022 | Volume: 14 | Número: Não se aplica
Autores: Gabriela Nery
Autor Correspondente: Gabriela Nery | [email protected]

Palavras-chave: imprensa, associativismo, trabalho

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Este artigo analisa o aparecimento da profissão dos repórteres na imprensa do Rio de Janeiro entre as décadas de 1880 e 1900. Foram utilizados, para tanto, estatutos de associações, jornais e outros periódicos, como o Almanak Laemmert, atentando-se sempre para o processo de desenvolvimento das empresas jornalísticas e seu impacto na vida dos trabalhadores. Nesse cenário, a trajetória do repórter negro e socialista Gustavo de Lacerda é tratada de forma destacada, a fim de analisar e compreender a centralidade dos repórteres na fundação das principais organizações de imprensa que surgiram no início do século XX, o Circulo dos Reporters e a Associação de Imprensa.



Resumo Inglês:

This paper analyzes the emergence of the reporters' profession in the press in Rio de Janeiro between the 1880s and 1900s. For this purpose, statutes of associations, newspapers, and other periodicals like Almanak Laemmert were used, paying attention to the development of journalistic companies and the impact on the lives of their workers. In this scenario, the trajectory of the black and socialist reporter Gustavo de Lacerda is treated centrally in this research as part of the process of understanding the centrality of the reporter professional class in the foundation of the most expressive press organizations that emerged at the beginning of the 20th century, the Circulo dos Reporters and the Press Association.