A ótica da cruz. Uma inversão da teologia

Reflexus

Endereço:
Rua Engenheiro Fábio Ruschi, 161 - Bento Ferreira
Vitória / ES
29050-670
Site: http://revista.faculdadeunida.com.br/index.php/reflexus
Telefone: (27) 3325-2071
ISSN: 2358-4874
Editor Chefe: José Adriano Filho
Início Publicação: 31/05/2007
Periodicidade: Semestral
Área de Estudo: Teologia

A ótica da cruz. Uma inversão da teologia

Ano: 2015 | Volume: 9 | Número: 14
Autores: Joaquim José de Moraes Neto
Autor Correspondente: Moraes Neto, Joaquim José de | [email protected]m.br

Palavras-chave: Lutero, Theologia Crucis, Conhecimento de Deus.

Resumos Cadastrados

Resumo Português:

Na sua theologia crucis Lutero identifica a situação de indigência do ser humano no mundo, através do sofrimento. Em Heidelberg (1518), ele demonstrou que havia outra ótica teológica através da qual poder-se-ia compreender a vida cristã. Não era a teologia da glória, herança da concepção teológica medieval emanada da escolástica aristotélico-tomista. Na theologia crucis estamos diante de um princípio de conhecimento teológico que se fundamenta tanto na concepção paulina da cruz, quanto na concepção do sofrimento humano levado até suas derradeiras consequências. Lutero identifica o topos de Deus. Há um lugar do e no qual Deus se mostra, a nossa humanidade. Esta revelação de Deus abre a humanidade. Abrir significa demonstrar, definir mostrando as entranhas. A revelação está para os humilhados, os sofredores. Deus se revela na fraqueza, a qual se expressa na inversão, ou seja, no abrir as entranhas e mostrar sua própria carne.



Resumo Inglês:

In his theologia crucis Luther identifies the extreme poverty of the human being in the world through suffering. In Heidelberg (1518), he demonstrated that there was another theological perspective through which to understand Christian life. It was not the medieval theology of glory, inherited from the Scholasticism. In Luther’s theologia crucis we face a principle of theological knowledge which is based both in the Pauline concept of the cross as in the conception of human suffering brought to its ultimate consequences. Luther identifies the topos of God. There is a place from and in which God shows Himself, that is, our humanity. This revelation of God opens humanity. To open means to demonstrate, to show His entrails. The revelation is for the humiliated, the suffering people. God is revealed in weakness, which is expressed in the reversal, that is, in opening His bowels and showing His own flesh.